Compartilhamentos

CÁSSIA LIMA

O deputado estadual Kaká Barbosa (PT do B) é o novo presidente da Assembleia Legislativa do Amapá (Alap). Ele foi eleito por 21 votos, com 1 abstenção e duas ausências. O único rival, Augusto Aguiar (PMDB), se retirou da sessão depois de dizer que a eleição estava irregular.

Aguiar chegou a interromper a sessão afirmando que o edital do processo foi publicado fora do prazo.

“Foi publicado há apenas 6 dias, quando o regimento determina que sejam 8 dias antes do pleito”, disse ele.

Deputados checam a urna antes da votação secreta. Fotos: Cássia Lima

Deputados checam a urna antes da votação secreta. Fotos: Cássia Lima

Estava em jogo a vaga de presidente da Assembleia para o período de 2017 a 2019. Os demais cargos estão definidos desde que a eleição que foi antecipada no ano passado.

A sessão, que começou por volta das 10h, chegou a ser interrompida para que a assessoria jurídica pudesse avaliar o pedido do deputado para que o processo fosse anulado.

Depois que a sessão foi retomada, a mesa informou que o pedido estava indeferido. Augusto Aguiar ainda bateu boca com a deputada e primeira vice-presidente Roseli Matos (DEM). Derrotado, ele se absteve de votar e deixou o plenário. 

Foram 21 votos, 1 abstenção e duas ausências

Foram 21 votos, 1 abstenção e duas ausências

Além dele, não votaram Moisés Souza (PSC), que está de licença médica desde 1º de dezembro do ano passado, quando foi afastado pelos deputados; e Cristina Almeida (PSB), que se recupera de uma cirurgia. O voto foi secreto.

Compartilhamentos