Compartilhamentos

CÁSSIA LIMA

Com 139 mil pessoas vacinadas, o Amapá alcançou a meta de cobertura estabelecida pelo Ministério da Saúde, na campanha de vacinação contra o H1N1. O número corresponde a 80% do público alvo, de acordo com dados da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa). O município de Oiapoque foi o único que registrou um baixo índice vacinal.

Segundo a coordenadora estadual do Programa de Imunizações, Janaina Leite, o medo da doença acabou estimulando a população a aderir à vacina.

UBS Lélio Silva lotada no primeiro dia de vacinação. Foto: Arquivo

UBS Lélio Silva lotada no primeiro dia de vacinação. Foto: Arquivo

“No ano passado demoramos mais de 6 meses para atingir a meta. Esse ano, em um mês conseguimos, mas isso é graças ao alerta das autoridades e os casos de pessoas que morreram com a doença. Isso sim fez a população correr aos postos de vacinação”, explicou.

Entre 2014 e 2015 não houve nenhum registro de casos de H1N1 no Amapá. Entretanto, em 2016, de seis pessoas detectadas com o vírus, quatro foram a óbito. Atualmente, seis pessoas esperam resultados de exames do Instituto Evandro Chagas.

fgvdfsfg

Oiapoque teve o menor percentual de vacinados, 17%

De acordo com o Ministério da Saúde, os indígenas fazem parte do grupo prioritário para vacinação. No Amapá, a maior população indígena está no Oiapoque, mas apenas 17% da meta foi atingida naquele município.

“O Oiapoque tem mais de 6 mil indígenas no seu território, mas não vacinou nem mil. Na verdade, estamos esperando a prefeitura do município atualizar os dados, porque consideramos a pior vacinação do Estado. Vamos continuar vacinando por lá até acabarem as doses da vacina”, frisou Janaina.

Dados

Macapá teve 86 mil doses, atingindo 80% da população. Já o município de Santana atingiu 93% da população imunizada. Cutias do Araguari foi o município que bateu o recorde, vacinando 106% da população, chegando a 4.696 pessoas imunizadas.

Compartilhamentos