Delegado acredita que morte de sargento foi acidental

Esposa relatou que houve uma briga no quarto do casal pela posse da arma. Ela foi libertada depois de pagar fiança
Compartilhamentos

SELES NAFES

O delegado Dante Ferreira, que investiga a morte do sargento Ceciliano Ferreira de Moraes Filho, de 46 anos, indiciou por homicídio culposo a esposa dele, Abigail Ferreira, de 40 anos. Ele acredita em tiro acidental e permitiu que ela aguarde o julgamento em liberdade.

Presa em flagrante na noite de sábado, 28, logo depois de se apesentar a uma guarnição da PM, Abigail Ferreira disse que o marido estava violento e ameaçou matar ela, os filhos e depois cometer suicídio. 

“Ele tinha passado o dia em companhia da amante na beira (orla da cidade). A esposa foi até o local onde eles estavam e houve uma briga, onde o sargento precisou intervir. Em seguida, ele a esposa foram para a residência do casal para terminar de resolver a questão”, comentou o delegado que ouviu a acusada e testemunhas que presenciaram a briga.

Casal brigou no sábado quando a esposa o encontrou com a amante

Casal brigou no sábado quando a esposa o encontrou com a amante. Foto: Arquivo familiar

O sargento estaria embriagado, de acordo com o relato da esposa.

“Ela disse que ele começou a quebrar tudo na casa. Começou a falar em se matar, matar ela, os filhos, e correu em direção ao quarto pra pegar a arma. Ela correu atrás e eles começaram a brigar pela posse da arma, foi quando ela tomou a arma e tentou sair pela porta, mas a arma disparou no peito dele. Me parece que foi acidental. Depois disso ela largou a arma e saiu correndo em desespero gritando que tinha acontecido uma tragédia. Isso foi confirmado pelos vizinhos”, lembra o delegado.

Abigail chorou durante todo o depoimento na delegacia.

“Quem premedita um assassinato não chora desse jeito, não é característica”, ponderou Dante Ferreira.

O sargento foi sepultado ainda no domingo

O sargento foi sepultado ainda no domingo. Foto: PM do Jari

Testemunhas também informaram ao delegado que o romance entre o sargento e amante tinha começado havia cerca de 1 ano, e que mais recentemente o casamento de 19 anos do sargento com Abigail começou a ter episódios de violência por conta da relação extraconjugal.

“Ele começou a beber além do normal”, comentou o delegado, que fixou em um salário mínimo a fiança para que Abigail Ferreira possa responder ao processo em liberdade. O valor foi fixado com base na condição social de Abigail que não dependia exclusivamente do marido. Ela foi libertada ainda no domingo.

O sargento Ceciliano Ferreira foi sepultado no fim da tarde deste domingo, 29, no Cemitério de Santana. Ele servia no fórum do Tribunal de Justiça do Amapá e estava na PM há 27 anos.

Foto de capa: Blog Vale do Jari

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.