Compartilhamentos

SELES NAFES

A Escola Sebastiana Lenir, no Bairro do Buritizal, emitiu uma nota se solidarizando com o  sargento do 1º Batalhão da Polícia Militar que foi agredido por um aluno do colégio na última sexta-feira, 13. Professores e funcionários avaliaram que o policial agiu em autodefesa.

O vídeo foi gravado por um aluno e mostra a dificuldade que os policiais tiveram para conter o estudante completamente transtornado. Ele estava proibido de entrar na escola por mau comportamento, embriaguez e ameaça a alunos e professores.

A agressão ocorreu depois que a PM foi chamada pela direção da escola para retirar o aluno de dentro da instituição, que fica na Avenida Diógenes Silva.

Depois que o vídeo passou a circular nas redes sociais, a comunidade escolar ficou preocupada com a repercussão das imagens que mostram os policiais agindo com rigor para conter o estudante violento.

Sargento sangrando após agressão de estudante: autodefesa

Sargento sangrando após agressão de estudante: autodefesa. Foto: Reprodução

O vídeo mostra o sargento sangrando bastante por um corte no supercílio direito. Depois de muita dificuldade, o estudante é algemado e conduzido até a delegacia de polícia. 

Segundo a escola, o aluno tem antecedentes de “má conduta como assédio de professora, assédio de aluna, ir drogado para a escola, ameaçar diretora, causar intrigas entre colegas e desacatar os auxiliares de disciplina”.

A escola informou que o aluno já tinha sido chamado pela equipe pedagógica várias vezes em função dos problemas causados, mas o comportamento não teria mudado.

“No momento da agressão estávamos solicitando sua saída da escola onde foi recusada por ele com palavras de baixo calão proferida à nossa secretária e aos policiais”, diz a nota.

Professores e funcionários da escola agradeceram o trabalho dos policiais “que no cumprimento do dever são capazes de nos proteger com seu próprio sangue”.

Para não provocar interpretações precipitadas e injustas, o vídeo não será postado aqui.

Compartilhamentos