Compartilhamentos

SELES NAFES

A falta de energia elétrica provocou um motim de presos no Instituto de Administração Penitenciária do Amapá (Iapen) no fim da tarde deste domingo, 15. Durante o protesto eles queimaram colchões e danificaram celas.

O fornecimento de energia foi interrompido por volta das 16h, durante o horário de visitas. O problema é que na semana passada outros apagões também tinham sido registrados no complexo.

Segundo funcionários, a Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA) chegou a ser chamada várias vezes, mas nenhuma das ocorrências teria sido atendida.

No fim do horário de visitas, os detentos do pavilhão de presos do regime semiaberto, que fica no anexo do chamado ‘cadeião’, começaram a protestar, e no início da noite o clima ficou mais tenso.

Houve quebra-quebra em algumas celas e vários colchões foram queimados. O protesto foi condito pela guarda interna.

O diretor do Iapen, Jeferson Dias, precisou ir até o presídio para conversar com os detentos e acionar pessoalmente a CEA, que desta vez mandou uma equipe.

“Precisou o ocorrer isso para que a CEA viesse”, comentou uma servidora. 

O problema foi localizado na interligação do Iapen com a rede que passa na Rodovia Duca Serra. Uma chave seria se desligado. A energia só foi restabelecida por volta das 20h.

Pela manhã, servidores começaram a fazer o levantamento dos prejuízos causados nas celas com a queima dos colchões. Será necessários substituir cadeados, colchões, fiação elétrica e consertar grades danificadas.

O pavilhão onde o protesto ocorreu possui mais de 200 detentos. A maioria pode sair todos os dias às 6h da manhã e retornar às 18h.

Compartilhamentos