Compartilhamentos

CÁSSIA LIMA

A jornalista amapaense Aline Brito decidiu pedir ajuda nas redes sociais para arrecadar R$ 6 mil. O valor será usado para pagar cirurgia e prótese da filha em Belém, no Pará. A adolescente Alice Caroline Brito, de 13 anos, é deficiente visual e sofre com infecção no globo ocular. A cirurgia é a única solução.

Segundo a mãe da menina, Alice sofre com atrofiamento do globo ocular, que já praticamente não existe. O lugar do globo virou canal aberto para microrganismos. A cirurgia vai fechar esse espaço com uma prótese, evitando novas infecções.

Jovem

Alice foi diagnosticada com retinopatia da prematuridade ainda nos primeiros meses de vida. Fotos: Arquivo Pessoal

“Ela está sofrendo de uma infecção nos olhos por falta da cirurgia e prótese. Já conseguimos muito, mas ainda precisamos do valor para custear o processo cirúrgico em Belém. Fazemos a assepsia com colírios, mas não tem adiantado”, contou a mãe da adolescente.

Alice Caroline nasceu aos 7 meses pesando 1,8 quilo. Os primeiros dias de vida não foram fáceis. A recém-nascida ficou internada 17 dias, e aos quatro meses perdeu a visão do olho direito.

Com o professor Auricélio, mestre de capoeira de Alice

Ainda criança, Alice começou a praticar capoeira com o mestre Auricélio

“Nós fizemos o acompanhamento médico e fomos alertados que poderia haver problemas por conta do nascimento prematuro. Um dia ela acordou e chorou muito, e olho direito estava turvo. Levei ao médico e ele disse que ela estava cega devido à retinopatia da prematuridade”, comentou a jornalista.

Desde então a mãe iniciou uma verdadeira luta para que a doença não tirasse a visão por completo da menina. Ela chegou a viajar com a filha para Recife, mas quando chegou lá, o médico diagnosticou que a pressão ocular havia aumentado muito e o olho, pra não “arrebentar”, atrofiou.

“Quando voltamos de Recife que eu procurei saber como vivia uma pessoa deficiente. Reaprendemos juntas a sentir os cheiros, os sons e como se locomover em casa. Ela é uma guerreira desde a hora que nasceu. Ela vive mais do que a previsão médica e hoje conta com a ajuda dos amigos para essa cirurgia”, disse Aline.

Alice participando de apresentação no coral da escola

Alice aos 9 anos, participando de apresentação no coral da escola

Alice cursa o oitavo ano na Escola Estadual José de Anchieta, e, apesar da deficiência, ela tem todo vigor da adolescência, faz capoeira, balé e participa do coral da escola.

“Fico grata aos que puderem ajudar com dinheiro. E aos que não puderem peço apenas que orem por minha flor, que passa por provações desde que nasceu. Mas sei o quanto Deus é misericordioso e está no nosso lado”.

Para doações:
Favorecido(a): Aline Brito Chagas
Banco do Brasil
Conta Poupança: 21946-0
Agência: 2825-8
Variação: 51
Ou pelo site http://www.arrekade.com.br/cirurgiadaalice

Compartilhamentos