Compartilhamentos

SELES NAFES

Policiais militares que trabalham na inteligência do Departamento de Trânsito do Amapá (Detran),  prenderam dois suspeitos de usar dados de uma pessoa que morreu há quase 10 anos para retirar do pátio do órgão um carro que estava apreendido. O veículo ainda foi vendido depois disso.

As prisões em flagrante ocorreram no início da tarde desta sexta-feira, 20. Um dos acusados se fazia passar por despachante, e o comparsa teria falsificado uma procuração usando o nome de uma pessoa que morreu em 2007.

Carro foi retirado do pátio do Detran e vendido. Fotos: André Silva

Carro foi retirado do pátio do Detran e vendido. Fotos: André Silva

O falsificador foi preso no Bairro do Araxá, e o falso despachante em uma casa no município de Santana. A operação teve apoio de uma equipe de Rondas Ostensivas Táticas Motorizadas (Rotam), grupamento que pertence ao Batalhão de Operações Especiais (Bope).

O golpe foi descoberto durante o processo de liberação do veículo. 

 “Agora no processo obtivemos a informação de que os dados da procuração são de uma mulher que já morreu. Depois que os documentos entram no Detran nós sempre fazemos essa análise, e assim detectamos a fraude”, explicou um dos policiais que trabalhou na investigação.  

O carro está em uma casa no Bairro Marabaixo, na Zona Oeste da capital, depois de ter sido vendido para uma terceira pessoa que também foi apresentada no Ciosp do Pacoval.

Compartilhamentos