Compartilhe

DA REDAÇÃO 

O novo presidente da Associação Comercial e Industrial de Oiapoque, o maranhense Isaac Silva, é um empresário otimista. Sediado na fronteira com a Guiana Francesa, onde está construindo uma grande fábrica de gelo, ele conduz outros negócios, e se diz confiante na economia da cidade.

Além de afirmar que a crise econômica brasileira não chegou com força em Oiapoque, ele garante que a abertura da ponte binacional vai impulsionar vários novos empreendimentos no município, principalmente no setor de transportes e turismo.

Sobre novos negócios em Oiapoque, o presidente aposta em transportes e turismo. Fotos: Humberto Baía

Sobre novos negócios em Oiapoque, o presidente aposta em transportes e turismo. Fotos: Humberto Baía

Site SelesNafes.Com: A crise chegou em Oiapoque?

Em Oiapoque a crise não é tão grande porque temos uma fronteira bastante próspera por causa do ouro, pescado, Euro, e isso faz o dinheiro continuar circulando, nos dá uma comodidade e mais fluxo de negócios.

Turismo é a vocação natural de Oiapoque. Foto: Arquivo

Turismo é a vocação natural de Oiapoque. Foto: Arquivo

Isaac Silva: Como o senhor vê Oiapoque depois da abertura da ponte binacional?

Eu acredito que será a terceira economia do Estado. Somos o batente da Europa por causa da ligação com a Guiana Francesa e Oiapoque terá esse privilégio por que novos negócios surgirão.

Em que setores?

Um grupo de investidores de SC quer instalar uma grande indústria de pesca na região

Um grupo de investidores de SC quer instalar uma grande indústria de pesca na região

Transporte, exportação de produtos de Oiapoque, como o pescado e artigos da agricultura.

Que conselho o senhor dá para um investidor interessado em Oiapoque?

Que aposte no turismo, construindo um hotel, ou no pescado. Eu conversei esta semana com um grupo de investidores de Santa Catarina interessados em construir uma grande indústria do pescado em Oiapoque. O investimento será de R$ 15 milhões.

A abertura da ponte binacional pode mudar o perfil dos negócios em Oiapoque. Foto: Humberto Baía

A abertura da ponte binacional pode mudar o perfil dos negócios em Oiapoque. Foto: Humberto Baía

O senhor vai tomar posse no próximo dia 30 como presidente, como será a festa?

O nosso querido Osmar Júnior irá lá tocar pra gente e iremos diplomar os associados que se mantiveram fieis. Éramos 150, hoje são pouco mais de 30 empresários na associação.

Como o senhor pretende trazer os sócios de volta?

Resgatando a credibilidade da entidade e dando contrapartida através de serviços na parte de propaganda e organizando a nossa sede social.

Compartilhe