Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

A promessa de criação de uma delegacia especializada em Repreensão a Crimes de Racismo e Intolerância no Amapá marcou o encontro em comemoração ao Dia Estadual dos Cultos Afro-religiosos. Segundo o secretário de Segurança Pública, o projeto já está pronto, mas falta recurso.

De acordo com o presidente da Comissão da Verdade da Escravidão Negra no Brasil, da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Danilo Silva, só no Amapá foram registrados cerca de 180 denúncias de racismo no ano passado, mas menos de 12% foram processadas e apuradas.

Cerimonia

Criação de delegacia especializada é necessária no Amapá, reconhece secretário de Segurança Pública, Gastão Calandrini

“A necessidade existe e não adianta tapar os olhos para isso. Existe demanda, então há a necessidade da criação da delegacia. Já acompanhei denúncias de racismo e a gente observa que o agente público, tem uma grande dificuldade em tipificar esse tipo de crime”, afirma.

De acordo com o secretário de Segurança Pública, Gastão Calandrini, a criação de uma delegacia especializada para esse tipo de crime é necessária, devido a grande quantidade de casos registrados nos últimos anos no Amapá.

“Essa delegacia de grupos vulneráveis atende a comunidade LGBT, idosos e grupos afros. Hoje esse tipo de ocorrência é atendido como qualquer outro caso. Com a criação da delegacia nós atenderíamos apenas esses tipos de ocorrências. O projeto está pronto, mas precisamos de um prédio e de concurso público para formar um corpo de profissionais para atender esse público”, disse o secretário.

Entrega de selos

Entrega de selos à pessoas e entidades que promovem políticas públicas de promoção a igualdade racial

O governador Waldez Góes reforçou a importância de se reconhecer o dia do culto afro.

“Sobre tudo, relembramos hoje a grande contribuição de Mãe Luci, pelo trabalho que desenvolveu no estado. Me honra muito fazer esse ato nesse dia. Reafirmamos nosso compromisso pela implantação das políticas públicas para os povos afrodescendentes. Todos têm direitos e devem ter a garantia deles”, finalizou o governador.

culto afro 3

Na solenidade que aconteceu na tarde desta sexta-feira, 6, no Palácio do Setentrião, o governador fez a entrega de 36 selos à pessoas e entidades que promovem políticas públicas de promoção a igualdade racial no Amapá.

Além da entrega dos selos, houve manifestações de grupos de terreiros e de representantes de outras religiões. Veja o vídeo

O dia estadual do culto afro é celebrado em 8 de maio. Uma programação foi criada para comemorar a data. Hoje, o primeiro dia encerrou com uma caminhada pelo centro da cidade, com saída da Praça da Bandeira e chegada na Praça Beira Rio.

Veja a programação:

Sábado, 7 de maio:
Local: Casa do Pai Salvino. Rua Vila dos Oliveiras, nº 839, bairro Pedrinhas, Macapá.

9h – Café da Manhã
10h – Palestra com Pai Paulo Rodrigues dos Santos/Tata Alajeimin
“A Importância do sincretismo entre as religiões. Matriz africana e Igreja Católica. Em seguida, intercâmbio de capoeira, marabaixo, batuque e candomblé”.

Domingo, 8 de maio:

Local: Terreiro de Umbanda e Mina Nagô N.S da Conceição. Avenida Dom Pedro, nº 2967 – Centro, Santana (Pai Almeida Canuto).

8h – Café da Manhã

Segunda-feira, 9 de maio:

Local: Terreiro de Umbanda e Mina Nagô N. Srª das Graças. Avenida Carlos Gomes, bairro Jesus de Nazaré – Macapá (Mãe Lolete).

20h – Tambor de Mina

Compartilhamentos