Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

A obra da Unidade Básica de Saúde do Bairro Cidade Nova I, prevista para ser concluída em 120 dias, esta completando seu 4º aniversário esse ano, segundo informações dos presidentes das associações de moradores dos bairros Perpétuo Socorro, Cidade Nova I e II. O valor inicial da reforma, de responsabilidade da Secretaria Municipal de Obras (Semob), era de R$ 495.925,23, hoje chegou ao montante de R$ 621.921,05.

A Secretaria de Saúde do Município (Semsa) assumiu a obra, que iniciou no dia 5 de abril, mas já parou novamente devido a problemas identificados no solo. Os trabalhos iniciaram na gestão do ex-prefeito Roberto Góes (PDT).

Obra estava orçada em R$ 495.925,23, hoje chegou ao montante de R$ 621.921,05. Fotos: André Silva

Obra estava orçada em R$ 495.925,23, hoje chegou ao montante de R$ 621.921,05. Fotos: André Silva

Na época, o que era para ser apenas uma reforma, virou uma obra maior que acabou sendo interrompida. Agora, depois de quase quatro anos, a obra foi retomada mas, com outro ‘objeto’ especificado, o de construção.

A unidade de saúde atendia não só os moradores do Cidade Nova I e II, mas uma boa parte dos que moram no Perpétuo Socorro. Hoje os atendimentos foram transferidos para uma casa alugada na Rua Antônio Pelaes, bem próximo de onde está sendo construído o Posto.

Canteiro de obra acumula lama e água

Canteiro de obra acumula lama e água

O local não oferece espaço suficiente para atender a população, segundo informações dos próprios funcionários. O local tem três consultórios para quatro médicos, e quando os quatro estão de plantão, um tem que voltar para casa.

Oseias .Fotos: André Silva

Oséias Ferreira: “falta estrutura para oferecer um atendimento melhor para a populaçāo”

“Além de ser um espaço muito reduzido, se comparado ao que tinha no antigo posto, os funcionários dizem que estão sem estrutura para oferecer um atendimento melhor para a população. Falta sala”, reclamou Oséias Ferreira, presidente da Associação do Cidade Nova.

De acordo com os presidentes de bairros, em uma reunião com os gestores da saúde do município, foi informado que a empresa responsável pela obra teria feito um estudo no solo e detectado que seria necessária a implantação de estacas para dar mais sustentação ao prédio.

posto de s 2 Magno pantoja

Magno Pantoja, presidente da Associação de Moradores do Bairro Perpétuo Socorro

“Isso não estava orçado, então eles tiveram que fazer um aditivo no orçamento original de R$ 40 mil para dar continuidade na obra. Foi essa satisfação que eles nos deram”, explicou o presidente.

O Site SELESNAFES.COM, entrou em contato com o secretário de obras da PMM, Emílio Roberto Escobar, que disse que a obra está sob responsabilidade da Semsa. O site procurou a Semsa que ainda não se pronunciou a respeito.

Compartilhamentos