Compartilhamentos

SELES NAFES

A Polícia Civil de Oiapoque libertou duas crianças que eram mantidas presas pelo próprio pai dentro de casa, em uma chácara isolada no meio da mata às margens do Rio Patuá. Um dos meninos, de 14 anos, que tem deficiência mental, estava acorrentado e com fome.

A libertação ocorreu nesta quinta-feira, 9, por volta das 16h, depois que policiais foram avisados por um morador da região chegou por acaso na chácara à procura de outra pessoa. O morador viu que as crianças estavam presas e avisou a Polícia Civil.

Chácara isolada onde os garotos viviam com o pai. Fotos: PC/Divulgação

Chácara isolada onde os garotos viviam com o pai. Fotos: PC/Divulgação

Imediatamente uma equipe comandada pelo delegado César Augusto acionou o Conselho Tutelar e foi até a chácara. Chegando ao local os policiais conseguiram se comunicar com uma garotinha de apenas 9 anos que informou que a casa estava trancada e o irmão estava ‘amarrado’ em um dos quartos.

“Perguntei se tinha um responsável, e ela me disse que o pai estava trabalhando, e que tinha um irmão, mas ele estava no quarto. Pedi pra falar com ele, mas ela respondeu que ele estava amarrado e que não tinha a chave”, lembra o delegado César Augusto.

Policiais tiveram dificuldades de soltar o garoto

Policiais tiveram dificuldades de soltar o garoto

A equipe, que estava acompanhada também de um perito da Polícia Técnica do Amapá (Politec), entrou na casa.

“No segundo quarto da casa nos deparamos com a situação lamentável desse adolescente. O garoto estava sobre um colchãozinho no chão, acorrentado, sem água e sem alimentação. A corrente estava bem presa a um cadeado, e ele balbuciava que estava com a perna presa”, conta.

Os policiais conseguiram arrancar a corrente da parede para poder serrar o cadeado e libertar o menino. Eles perceberam também que os irmãos vivem em situação de miséria. Não havia nenhum alimento na geladeira. Os garotos informaram que a mãe deles morreu em julho do ano passado.

Jonas Nonato disse que libertava o menino à noite para cuidar dele

Jones Nonato disse que libertava o menino à noite para cuidar dele

As crianças foram levadas para o Ciosp de Oiapoque, e agentes foram em busca do pai que seria cambista de passagens de barco na região e trabalhava na orla da cidade.

Jones Nonato Costa Dias, de 40 anos, foi encontrado no local indicado pelos meninos. Abordado pela equipe, ele admitiu que deixava os filhos trancados em casa e que acorrentava o mais velho.

No entanto, ele alegou que não tinha com quem deixar as crianças, e que acorrentava o adolescente para o próprio bem do filho.

Delegado César Augusto: abandono e cárcere com agravantes

Delegado César Augusto: abandono e cárcere com agravantes

“Ele disse que o filho foge de casa, e que tem um comportamento muito agressivo. Quando foge de casa dão bebida alcoólica para ele, drogas. Quando pai volta à noite para casa ele disse que o solta da corrente e passa a cuidar dele”, relatou o delegado.

Jones Nonato foi preso em flagrante e indiciado por abandono com agravante de deixar os filhos em local ermo, e por cárcere também com agravante por se tratar de parentes. Ele foi encaminhado ao minipresídio de Oiapoque onde aguardará audiência de custódia.

Os meninos ficaram sob responsabilidade do Conselho Tutelar.

Compartilhamentos