Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

Um homem que fazia transporte clandestino no Bairro Central colidiu com o carro onde estava a presidente da Companhia de Transito de Macapá (CTMac) Cristina Baddini nesta sexta-feira, 3, em  frente a sede da Prefeitura Municipal de Macapá. Após a batida o homem fugiu iniciando uma perseguição que foi acabar no Residencial Irmãos Platon, próximo ao Bairro Marabaixo, Zona Oeste de Macapá. O homem foi preso por desacato e ameaça.

A confusão teria acontecido, segundo a polícia, por volta das 11h30min. Baddini, que estava acompanhada da chefe de Transporte Danielle Upton, estava em uma reunião na Câmara de Vereadores de Macapá  tratando de assuntos relacionados justamente à fiscalização do serviço de transporte clandestino e lotação na cidade.

Motorista acusado de causar o acidente se refugiou em uma casa, mas foi colocado para fora pela proprietária. Foto: CTMac

Motorista acusado de causar o acidente se refugiou em uma casa, mas foi colocado para fora pela proprietária. Foto: CTMac

Após sair do local, no carro da companhia, ela conta que teria avistado um carro pegando passageiros em frente à prefeitura.

“Assim que ele nos viu, abalroou o carro e aí começou uma perseguição. Acionamos outras viaturas e ele foi até o Residencial Platon, e entrou em uma casa onde a mulher dele trabalha como doméstica”, conta Baddini acrescentando que o carro pirata estava cheio de passageiros.

O condutor teria feito manobras arriscadas na tentativa de fuga passando pela Rodovia Duca Serra.

Carro foi apreendido e levado para o pátio da companhia

Carro foi apreendido e levado para o pátio da companhia

O Batalhão de Policiamento Rodoviário Estadual (BPRE) também  foi acionado e confirmou que o motorista José Ribamar, de 30 anos, que estava conduzindo o carro de marca Prisma de placa NEX 2489, estava fazendo transporte de passageiros clandestinamente.

Ao chegar ao local onde ele estaria escondido, os vizinhos ligaram para a dona da casa que imediatamente chegou ao local e o colocou para fora da casa.

Quando foi preso, o homem ainda ameaçou Baddini e Daniele dizendo, segundo as vítimas, que ele sabia aonde ela morava e que “isso não iria ficar de graça”.

Cristina Baddini e a chefe de fiscalização foram para a Delegacia de Crimes Contra a Mulher prestar queixa. Foto: André Silva

Cristina Baddini e a chefe de fiscalização foram para a Delegacia de Crimes Contra a Mulher prestar queixa. Foto: André Silva

O motorista e a presidente foram levados até o Ciosp do Pacoval e logo depois encaminhados à Delegacia de Crimes Contra a Mulher (DECCM) por se tratar de ameaça. Ele responderá por desacato, ameaça e direção perigosa, segundo a polícia. Ninguém ficou ferido.

Compartilhamentos