Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

O problema da acessibilidade nas grandes cidades ainda é um desafio a ser superado pelos gestores. No Amapá, mais precisamente na capital Macapá, já houve alguns avanços, mas ainda há muito chão a percorrer, e adequar. 

Segundo a coordenadora municipal de Acessibilidade e Mobilidade Urbana, Ariane Luna, todos os novos projetos de obras da PMM, como praças e prédios públicos, já são adaptados as necessidades dessas pessoas. E que, além de locais públicos, o trabalho também é feito com empresários que têm buscado orientações quanto à instalação de equipamentos voltados à necessidade de mobilidade de pessoas portadoras de deficiência física.

Coordenadora de Acessibilidade e Mobilidade Urbana de Macapá

Coordenadora de Acessibilidade e Mobilidade Urbana de Macapá, Ariane Luna. Fotos: André Silva

“Quando a coordenadoria é provocada pelos agentes públicos ou particulares, como shoppings e supermercados, por exemplo, orientamos quanto aos procedimentos a serem tomados e quais adequações devem ser feitas no projeto”, explicou Ariane.

Um grupo de amigos portadores de vários tipos de deficiência, cansados das péssimas condições da cidade, chegou a fazer uma peregrinação em rádios e outros meios de comunicação para exigir providências da coordenadoria.

Dificuldade em andar pelas calçadas de Macapá. Fotos: André Silva

Dificuldade em andar pelas calçadas de Macapá. Fotos: André Silva

“É importante ressaltar o papel da coordenadoria, que é articular e monitorar as questões das políticas públicas, orientar e traçar diretrizes para os órgãos gestores de políticas para pessoas com deficiências. Nós não temos o papel de execução de políticas”, esclareceu a coordenadora.

Ela conta que há dificuldades em adaptar obras antigas da cidade, por isso os trabalhos são voltados mais para novos projetos. Ela cita como exemplo a reforma das praças Veiga Cabral e Floriano Peixoto, que já estão com o projeto de acessibilidade encaminhado.

Problema de acesso nas calçadas do centro comercial de Macapá

Problema de acesso nas calçadas do centro comercial de Macapá

Ela também lembra que os moradores podem facilitar a acessibilidade das pessoas que caminham nas calçadas da cidade, na desobstrução e construção de rampas próprias, e que a PMM dispõem de mão de obra técnica para esses donos de imóveis que se interessarem em se enquadrar ao projeto Calçada Legal. 

Compartilhamentos