Compartilhamentos

SELES NAFES

A defesa do ex-secretário de Comunicação do governo do Estado, Bruno Gerônimo, anunciou neste sábado, 18, que vai recorrer da decisão de primeira instância que condenou o ex-gestor por dispensa ilegal de licitação em 2012.

O advogado Luciano Del Castilo lembrou que a condenação não fala em desvio e nem em superfaturamento de preços, mas ‘apenas’ do procedimento para contratação da agência Revolution para campanhas de divulgação do governo do Estado.

“E a decisão está muito confusa, principalmente em relação ao Bruno. Imputa vários atos ao Bruno quando ele ainda não era responsável, quem era responsável era a secretária Jacinta (falecida em 2012). Estamos recorrendo dessas obscuridades da sentença que não levou em consideração as provas e depoimentos de testemunhas”, comentou o advogado.

Bruno Gerônimo e mais quatro pessoas foram condenadas por dispensa de licitação numa ação movida pelo MP. O valor do contrato de 6 meses foi de R$ 4,8 milhões, entre junho e dezembro de 2012.

Del Castilo garante o então secretário era a favor de uma contratação após concorrência pública, mas que a dispensa foi necessária porque não havia orçamento para iniciar um processo de licitação. Ele também negou que tenha havido algum tipo de favorecimento à agência Revolution, do publicitário Walter Júnior.

“Tudo isso está nos autos do processo, mas o juiz não analisou como deveria. É uma sentença com muita falhas”, avaliou.

O advogado diz que vai ingressar com agravo na 1ª Vara Criminal de Macapá, que proferiu a sentença na última quinta-feira, 17, para depois recorrer ao Tribunal de Justiça do Amapá.

Compartilhamentos