Compartilhamentos

CÁSSIA LIMA

A greve dos rodoviários iniciou com pouca adesão de sindicalizados na manhã dessa quarta, 15, na Praça da Bandeira, Centro de Macapá. A categoria chegou a ocupar a Avenida FAB e parte do trânsito foi interditado, mas foi liberado próximo das 12h. Os rodoviários reivindicam aumento salarial e reajuste inflacionário. Maioria dos coletivos não saíram das garagens das empresas de transporte.

Os rodoviários ocuparam a Praça da Bandeira e estavam parando os ônibus que transitavam na Avenida FAB. Passageiros estavam sendo obrigados a continuar seu trajeto a pé, o que gerou tumultos. A Polícia Militar foi chamada e a FAB interditada. Para evitar transtornos com passageiros, os ônibus mudaram de rota, passando pelas avenidas Presidente Vargas e Ernestino Borges.

Polícia acompanhou de longe a manifestação. Fotos: Cássia Lima

Polícia acompanhou de longe a manifestação. Fotos: Cássia Lima

“Muitos motoristas e cobradores não concordam com essa greve. Tem gente ameaçando furar os pneus dos veículos por retaliação. Queremos o nosso reajuste, mas não dessa forma que está sendo conduzido”, criticou um motorista que preferiu não se identificar.

Paradas de ônibus vazias logo pela manhã

Paradas de ônibus vazias logo pela manhã

A primeira proposta dos rodoviários ao Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros do Amapá (Setap) pedia 20% de reajuste salarial, R$800 de cesta básica, diminuição da carga horária de 7 para 6 horas, mais auxílio refeição e plano de saúde.

Aldo Brito, secretário do Sindicato dos Rodoviários: " Fotos: Cássia Lima

Aldo Brito, secretário do Sindicato dos Rodoviários: “não podemos fechar acordo com um percentual abaixo da inflação”

“Nós fizemos as propostas, esperamos mais de 30 dias e nada. Quando o Setap veio com uma contraproposta foi frustrante. Mas mesmo assim, não conseguimos avançar no diálogo. Não podemos fechar o acordo com um percentual abaixo da inflação. É chamando a PM que eles querem resolver isso”, defendeu Aldo Brito, secretário do Sindicato dos Rodoviários.

O sindicato afirmou que 70% da frota foi paralisada. A situação agravou cedo e algumas paradas ficaram vazias. Mas logo a situação voltou ao normal. Os grevistas prometem continuar o movimento nos próximos dias.

O Setap afirmou, por meio de nota, “que 100% da frota urbana e interurbana está circulando normalmente”. Ainda foi divulgado que os rodoviários “em reunião nas garagens, decidiram recuar do movimento grevista e trabalhar com toda a frota”. Não houve mais informações sobre a negociação salarial.

Compartilhamentos