Compartilhamentos

SELES NAFES

O ex-secretário de Comunicação Social do governo do Estado, Bruno Gerônimo, foi condenado a 3 anos de prisão por dispensa ilegal de licitação. A pena foi convertida para regime aberto e prestação de serviços comunitários.

A ação foi movida pelo Ministério Público do Estado a partir de parecer do Tribunal de Contas do Estado (TCE) que investigou o contrato emergencial da Revolution, a agência de propaganda contratada pelo governo Camilo Capiberibe (PSB). O valor do contrato de seis meses foi de R$ 4,8 milhões.

Nos autos do processo, o governo argumentou que precisava fazer campanhas de divulgação sobre a volta às aulas, Expofeira e outros eventos oficiais. Para o TCE e o MP, vários critérios para celebração de contrato de emergência foram feridos, e o contrato acabou sendo considerado irregular pela corte de contas.

A decisão de condenar os denunciados foi do juiz Adão Joel Gomes, da 1ª Vara Criminal de Macapá. Além do ex-secretário Bruno Gerônimo, foram condenados ex-servidores da Secretaria de Comunicação (Secom), da Comissão Permanente de Licitação, e o empresário e publicitário Walter Júnior, proprietário da agência Revolution, que prestava serviços ao então governo Camilo Capiberibe (PSB).  

Todos os condenados deverão prestar serviços comunitários durante 3 anos, pagar salário mínimo a uma entidade filantrópica, além de a pagar multa de R$ 96 mil.

O site SELESNAFES.COM não conseguiu entrar em contato com a assessoria do ex-governador Camilo Capiberibe, e nem com o advogado Luciano Del Castilho, que defende o ex-secretário de Comunicação.

empresário Walter Júnior vai enviar uma nota à redação do site.

Compartilhamentos