Compartilhamentos

 

DA REDAÇÃO

O Amapá já tem confirmados 55 casos de zika de um total de 244 notificações de suspeita da doença. O combate a essa e outras endemias na fronteira começou a ser discutida nesta segunda-feira, 13, num encontro entre representantes dos governos do Amapá e da Guiana Francesa.

A iniciativa de discutir as endemias mais comuns na fronteira foi da Secretaria de Saúde do Amapá (Sesa). A ‘Semana de Saúde na Fronteira Brasil-França’ foi aberta pelo governador do Amapá, Waldez Góes (PDT) em solenidade no Palácio do Setentrião.

“Quero reafirmar o compromisso do governo do Estado, sobretudo com as boas práticas de políticas públicas”, comentou.

As 244 notificações de zika foram registradas entre janeiro e o início de junho. Além da zika, as endemias mais comuns na fronteira são a malária, dengue e a febre chikungunya.

O objetivo da Semana de Saúde é fortalecer a cooperação entre os dois governos com foco na vigilância epidemiológica e padronização de protocolos de atendimento e tratamento.

A Guiana Francesa mandou para o evento o diretor da Agência Regional de Saúde, Meurin Cristhian. Ele informou que um termo de cooperação  deverá ser assinado entre os dois governos na próxima reunião da Comissão Mista de Questões Transfronteiriças marcada para o 2º semestre.

“Já temos um histórico positivo de cooperação e estamos avançando para a assinatura do termo de intenções entre países, principalmente no combate vetorial”, acrescentou a secretária de Saúde do Amapá, Renilda Costa.

Compartilhamentos