Compartilhamentos

CÁSSIA LIMA

Nesta sexta-feira, 3, mototaxistas se reuniram com vereadores de Macapá para cobrar mais fiscalização contra clandestinos. Os legalizados alegam que a falta de fiscalização compromete a renda do mês. A Companhia de Trânsito e Transporte de Macapá (CTMac) informou que a fiscalização é diária, mas falta apoio da Polícia Militar.

Clandestinos sendo presos (3)

Fiscalização recolheu motos clandestinas. Fotos: Cássia Lima

“Além de pegar nossos clientes, os clandestinos também nos ameaçam e formam grupos nos nossos pontos de parada. A população precisa ficar atenda, já que muitos roubam os clientes. Temos informaçāo de casos de estupro, inclusive”, disse o presidente do Sindicato dos Mototaxistas do Amapá, José Maria.

A reclamação foi discutida pela Comissão de Aviação e Transportes da Câmara. A categoria pontuou duas pautas: mais fiscalização e a concessão definitiva das placas das motos, hoje o título é de propriedade da prefeitura.

Vadinho. Fotos: Cássia Lima

Vadinho Pedrosa, mototaxista: “a CTMac tem que fiscalizar”

“A fiscalização precisa ser eficiente para atender a categoria. Somos mais de 2 mil mototaxistas que não trabalhamos com segurança, e muitas vezes nem podemos trabalhar porque não temos clientes. A CTMac tem que fiscalizar”, declarou o mototaxista Vadinho Pedrosa.

De acordo com a presidente da CTMac, Cristina Baddini, as fiscalizações ocorrem diariamente, inclusive ontem, 2 de junho, 12 motos clandestinas foram apreendidas. Esse ano já foram 371 motos e 57 carros apreendidos por transporte clandestino.

Ações

CTMac apreendeu 12 mototáxis clandestinas na quinta-feira, 2

“Nós fiscalizamos diariamente, mas a população também tem que se conscientizar. Orientamos observar se a placa é de cor vermelha e se o mototaxista tem colete, dessa forma ele está legal. Precisamos de mais apoio da PM, já que hoje só temos a Guarda Municipal”, reclamou a presidente.

A alegação da diretora é apoiada pelo comandante Macedo, da Guarda Municipal. Segundo ele, a PM precisa dar suporte na hora da apreensão de motos, já que a guarda não possui autonomia para isso.

“A gente espera um suporte operacional da PM. Temos confronto diário em conduzir esses clandestinos para uma delegacia e a ajuda da PM seria essencial”, frisou.

A reunião contou com representantes da CTMac, Guarda Municipal, BPTran e mototaxistas. A proposta é que a PM envie policiais para essas fiscalizações, e que as reivindicações sejam apresentadas em audiência pública para encaminhamento ao Poder Executivo.

Compartilhamentos