Compartilhamentos

CÁSSIA LIMA

A direção do Instituto de Administração Penitenciária do Amapá (Iapen) informou que vai apurar, através da Corregedoria, como serras e simulacros foram parar dentro da instituição. Os objetos foram usados por presos durante fuga na manhã desta quinta-feira, 2. Dois detentos foram mortos e um está foragido.

Segundo a direção do Instituto, a tentativa de fuga ocorreu às 5h30. Três presos da cela 8A do pavilhão F1 serraram as grades e, usando ‘teresas’, escalaram o muro até a guarita G11. Lá, eles renderam um agente e tomaram o fuzil dele. A ação só foi percebida minutos depois.

GTA ajuda na busca do foragido

GTA ajuda nas buscas. Foto: Valdeí Balieiro

“Ninguém viu essa locomoção dos presos, os outros agentes só avistaram quando eles já estavam descendo da guarita. Foi aí que uma guarnição efetuou os disparos matando um no local e ferindo outro. Um terceiro escapou”, explicou o diretor do Iapen, Jeferson Dias.

O detento Edielson dos Santos Rodrigues morreu na hora. Gabriel dos Santos Costa foi levado para o Hospital de Emergências (HE), mas não resistiu aos ferimentos. Sílvio Luis Costa Oliveira está foragido. Todos cumpriam pena por roubo. 

Detento foragido. Foto: Iapen/Divulgação

Detento foragido. Foto: Iapen/Divulgação

O Iapen possui 12 guaritas, mas apenas 8 estão ativas com agentes prisionais. A direção acredita que isso não influenciou a fuga. O agente que foi rendido já prestou depoimento no Ciosp e também será ouvido pela Corregedoria do Instituto Penitenciário.

“Vamos investigar como uma serra e simulacro foram parar dentro das celas, já que sempre fazemos inspeções no presídio. No momento, não sabemos informar como a ação dos presos não foi vista”, disse o diretor.

O Grupo Tático Prisional (GTP) e equipes de vários batalhões da Polícia Militar fizeram buscas na área de mata atrás do Iapen e no Bairro Marabaixo. Pela tarde, apenas a PM ainda estava no local.

Compartilhamentos