Compartilhamentos

SELES NAFES

Um homem detido por furtar feijão e outros alimentos na companhia da filha de apenas 10 anos recebeu ajuda de onde menos esperava, da comerciante vítima do delito e também dos policiais militares sensibilizados com a situação de miséria do acusado. Eles fizeram uma coleta e doaram uma cesta básica à família. A iniciativa teria sido da comerciante que também contribuiu. com produtos. 

O caso inusitado ocorreu no Bairro do Aeroporto, na cidade de Porto Grande, município a 105 quilômetros da capital Macapá, por volta das 19h50min desta quinta-feira, 9.

A PM foi chamada para prender um homem que estava imobilizado dentro de um mercantil pelos funcionários do lugar. Quando os policiais chegaram ao local, ele continuava detido pelos funcionários, mas ao falar com os policiais a comerciante descaracterizou o crime comovida pela situação do acusado que tinha sido flagrado com um quilo de feijão, dois quilos de arroz, um pacote de leite e um rolo de papel higiênico.

Coronel Carlos, comandante da PM: comerciante descaracterizou o crime. Foto: Arquivo

Coronel Carlos, comandante da PM: comerciante descaracterizou o crime. Foto: Arquivo

“Ela informou aos policiais que ele não estava furtando, e que inclusive ia ajudá-lo. Por isso ele não foi preso, porque descaracterizou o crime. Então eles agiram com sensibilidade”, informou o comandante geral da PM, coronel Carlos Souza.

Os policiais compreenderam a atitude da comerciante e se comoveram com a criança de 10 anos. A ocorrência feita pela PM de Porto Grande descreve o que ocorreu a seguir:

Montamos uma cesta de alimentos com 20 itens para ajudá- lo com sua fome e de sua família. A proprietária também ajudou com alguns itens”. 

Os policiais informaram que decidiram ajudar por causa da criança.

A pequena só tem 10 anos, e não poderíamos ver aquilo e não fazer algo para mudar o cenário em que o pai se encontrava, prestes a ser preso por furto. É muito difícil ver o que vimos, é muito pior que trocar tiro, entrar em uma briga generalizada”, termina a ocorrência.

José Epaminondas Sena da Silva, de 47 anos, gravou um vídeo onde agradece aos policiais e faz um alerta para que outros pais não coloquem seus filhos em situação de risco como ele próprio fez. O vídeo ainda não foi divulgado.

Compartilhamentos