Compartilhamentos

OLHO DE BOTO

Um homem foi assassinado a tiros quando jogava bilhar em um bar no município de Santana, a 17 quilômetros de Macapá na noite de terça-feira, 21. Foi a terceira morte por execução em 7 dias na cidade.  

O crime ocorreu por volta das 23h na Avenida das Nações com a Rua Salvador Diniz. Josielby Pinheiro Serra, de 31 anos, estava jogando sozinho quando dois homens chegaram em uma motocicleta. Segundo uma testemunha, o que estava na garupa desceu do veículo e caminhou em direção à vítima abrindo fogo.

Vítima jogava bilhar sozinho. Fotos: Olho de Boto

Vítima jogava bilhar sozinho. Fotos: Olho de Boto

Os primeiros dois tiros acertaram Josielby Serra que ainda deu alguns passos e caiu. Logo em seguida, o criminoso se aproximou e deu o último tiro que atingiu a cabeça. Os criminosos fugiram na moto.  

“A testemunha não sabe as características da moto e nem dos criminosos. O bar já estava fechado, mas como essa mesa funciona com moedas de um real, as pessoas costumam jogar nela mesmo com o bar fechado, e era isso que a vítima estava fazendo”, comentou o tenente Herinaldo, do 4º Batalhão da Polícia Militar.

Carro da vítima ficou estacionado em frente ao bar

Policial examina carro da vítima que ficou estacionado em frente ao bar

O corpo de Josielby Serra, com marcas de 3 tiros, foi removido pela Polícia Técnica do Amapá (Politec), e até agora nenhum prisão foi anunciada.

A PM não soube informar qual seria a motivação do crime, apesar de parentes terem relatado que a vítima costumava usar dois cordões de ouro que não foram encontrados no corpo.  

Politec contou 3 tiros no corpo da vítima

Politec contou 3 tiros no corpo da vítima

No último dia 16, um detento do regime semiaberto foi executado a tiros na mesma Avenida das Nações. A vítima entrava no carro quando foi alvejada por motoqueiros.

Dois dias depois, na Área Portuária, um homem também foi morto a tiros quando estava sentado em uma calçada bebendo cerveja. Ele era novo na cidade e morava em um apartamento alugado próximo do local do crime.

Compartilhamentos