Compartilhamentos

OLHO DE BOTO

Um homem morreu ao bater com a motocicleta no meio fio de um retorno na BR-210, no acesso ao Bairro Açaí, na zona norte de Macapá. Segundo a Polícia Militar, ele estava fugindo depois de ter sido denunciado por estupro de uma enteada.

O acidente ocorreu por volta das 21h20min desta terça-feira, 26. Segundo testemunhas, o motociclista identificado como Jaires Santos Neres, de 39 anos, foi parar a mais de 50 metros de distância do local do impacto.

Motocicleta era conduzida em alta velocidade, segundo a PRF. Fotos: Olho de Boto

Motocicleta era conduzida em alta velocidade, segundo a PRF. Fotos: Olho de Boto

Ele teve ferimentos gravíssimos, especialmente na cabeça. O trecho é muito escuro, e já registrou vários acidentes.

“O condutor transitava em alta velocidade e acabou colidindo com o canteiro central da rodovia. A escuridão pode ter contribuído, mas parentes informaram que ele também havia consumido bebida alcoólica”, relatou o inspetor Cambraia, da Polícia Rodoviária Federal.

Meio-fio onde o motociclista perdeu o controle do veículo

Meio-fio onde o motociclista perdeu o controle do veículo

Mas além da velocidade, escuridão e o possível consumo de álcool, havia outro ingrediente. Jaires Neres, de acordo com a Polícia Militar, estava fugindo depois de ter sido denunciado pela esposa por estupro.

O acusado teria sido surpreendido estuprando a enteada de apenas 12 anos. O crime teria ocorrido na residência do casal, na Avenida Jambeiro, no Bairro Brasil Novo, a menos de 2 quilômetros do local do acidente. Depois do flagrante, Jaires Neres partiu em disparada na moto e acabou provocando a própria morte.

Segundo a PM, Jaires Neres estava fugindo depois de ser denunciado pela esposa

Segundo a PM, Jaires Neres estava fugindo depois de ser denunciado pela esposa

“Fomos acionados pelo Ciodes para atender uma ocorrência de estupro de vulnerável, mas ao chegarmos ao local ele já havia fugido, e acabou causando o próprio acidente. Nem chegarmos a fazer  o acompanhamento tático (perseguição)”, comentou o tenente Carlos Júnior, do 2º Batalhão da Polícia Militar do Amapá.

Mãe e a filha foram levadas pela PM para prestar depoimento na Delegacia de Crimes Contra a Mulher. A menina foi encaminhada depois ao serviço psicológico da Polícia Técnica (Politec) onde também seria submetida ao exame de conjunção carnal.

Compartilhamentos