Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

O Festival do Camarão, que acontece todos os anos na cidade paraense Afuá, será diferente para as agências de viagens que comercializam passagens para a festa. Como sempre muita gente tem comprado passagens, mas num número menor este ano. A crise tem afetado as vendas.

Os ambulantes que trabalham na rampa do Santa Inês, de onde partem as embarcações, também reclamam do baixo faturamento.

Rampa do Santa Inês . Fotos: André Silva

Rampa do Santa Inês. Fotos: André Silva

Mesmo fora dos horários de partida, o movimento era bem maior no ano passado

Mesmo fora dos horários de partida, o movimento era bem maior no ano passado

As agências que comercializam os tíckets para Afuá sentem a diferença nas vendas, em comparação ao mesmo período do ano passado. Esse ano, as embarcações não têm saído lotadas, como se viu em 2015.

Fotos: André Silva

David Aires e a esposa vendem passagens para o festival há cinco anos. Fotos: André Silva

“Ano passado, na quinta-feira já tínhamos muitas passagens vendidas. Eu e minha esposa juntos vendíamos cerca de quatro blocos com 50 passagens juntos, e até agora não conseguimos vender nem metade”, queixa-se o vendedor de passagens David Aires, de 29 anos. Há 5 anos ele e a mulher vendem passagem para o festival.

A sexta-feira pode ser a salvação nas vendas, comenta um outro comerciante.

Cleiton à esquerda

Cleiton Pastana, à esquerda, espera que as vendas melhorem na sexta, 29

“Em relação ao ano passado está bem fraco. Nesse mesmo período nós estávamos com todos os barcos saindo lotados, esse ano nós ainda estamos com muitas passagens por vender. A gente espera que melhore daqui pra amanhã, e sábado”, conta o proprietário de agência Cleiton Pastana Farias, de 25 anos.

E para quem está acostumado a lucrar com as vendas de balas e lanches na rampa, dessa vez se surpreendeu negativamente. João José Marques, de 64 anos, trabalha no local há 12 anos. Ele conta que em festivais passados as vendas sempre foram boas, mas nesse ano já sentiu a diferença.

João

João Marques, vendedor de lanches: “com a crise o pessoal pensa duas vezes antes de viajar”

“Eu nunca tinha visto um festival tão parado como o deste ano. Não tem dinheiro. Com essa crise o pessoal pensa duas vezes antes de viajar. A expectativa é que melhore”, prevê o vendedor.

Há aqueles que vão ao festival para levantar dinheiro extra com a venda de balas e bebidas. Em meio à diversão uma oportunidade para começar o próximo mês com a carteira cheira, aposta João Paes.

Vai ao festival para ganhar uma renda extra

João Paes vai ao festival para vender balas

“Esse ano vou tentar fazer umas vendas por lá e superar essa crise que está pegando todo mundo. No meio do trabalho acaba rolando um pouquinho de diversão, mas a gente acaba unindo os dois. Espero fazer um bom dinheiro nessa festa”, espera o empreendedor individual João Paulo Paes, de 29 anos.

O Festival do Camarão acontece nesse fim de semana, dias 29, 30 e 31 de julho em Afuá. Cerca de 12 mil amapaenses costumam viajar para participar da festa, segundo as agências de viagem. Alguns navios saem todos os dias, de 12 em 12 horas.

Compartilhamentos