Compartilhamentos

SELES NAFES

O Amapá iniciou nessa quarta-feira, 27, o processo que vai culminar no primeiro embarque de soja produzida no Estado. Carretas de várias regiões começaram nessa manhã a levar os grãos para os silos de armazenagem instalados na Companhia Docas de Santana (CDS). O embarque para a Ásia e Europa deve ocorrer em setembro.

Essa é a primeira grande safra do Amapá, e pode atingir 50 mil toneladas, o suficiente para encher um grande cargueiro. Ao todo foram cultivados 20 mil hectares por cerca de 100 produtores de Macapá, Itaubal do Piririm e Tartarugalzinho.

O processo de escoamento do campo até os silos de armazenagem é complexo. Os grãos precisam ser guardados com 14% de umidade para ficar dentro dos padrões internacionais. As carretas também são pesadas antes de entrar no pátio de manobra da CDS.

No total foram plantados 20 mil hectares. Fotos:

No total foram plantados 20 mil hectares. Fotos: Ariele Martins

“A previsão é de que hoje 10 carretas modelo bi-trem com capacidade para 40 toneladas cada uma levem os grãos para Santana”, explica o presidente do Conselho Deliberativo da CDS, Alberto Góes.

Cada saca de 60 quilos de soja vale cerca de R$ 90 no mercado internacional. Por isso a safra do Amapá deve render algo em torno de R$ 40 milhões.

“O Estado do Amapá deixa de ser apenas consumidor de alimentos e passa a se tornar produtor. A próxima etapa desse projeto é instalar uma esmagadora de grãos para a produção de biocombustível”, revela o presidente da companhia, Eider Pena.

Colheita, escoamento e armazenagem são complexos

Colheita, escoamento e armazenagem são complexos

Todo o investimento é privado, incluindo a infraestrutura de armazenagem de grãos da Cianport, empresa do Matogrosso. Ainda em setembro, a transportadora também deve escoar por Santana a safra de milho de outras regiões do país também para Europa e Ásia.

Com o advento da soja e do milho, os produtores já se preparam também para investir na produção de ração para a criação de frangos.  

Compartilhamentos