Compartilhamentos

CÁSSIA LIMA

Ainda está na Guiana Francesa a colombiana, de 29 anos, que foi traficada por criminosos para ser vendida para fins sexuais em um garimpo. O caso chama atenção, já que a mulher passou por Macapá com a informação de que trabalharia como babá de um recém-nascido. Esse é só um dos 17 casos confirmados e outros 10 suspeitos de tráfico humano, que o Núcleo de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas (NETP) divulgou na manhã dessa sexta-feira, 22.

De acordo com o coordenador do Núcleo, Domiciano Sobral, o Amapá é usado como rota de tráfico de pessoas para fins sexuais, trabalho escravo e venda de órgãos. Segundo dados do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crimes (UnoDC, singla em inglês), o tráfico de seres humanos é considerado o terceiro crime mais rentável do mundo, movimentando cerca de 32 bilhões de dólares anualmente. O que mais preocupa é a organização dos criminosos.

Francisco Kato, coordenador do

Francisco Kato, coordenador do NETP: “criminosos possuem uma rede muito bem organizada”. Fotos: Cássia Lima

“Esses criminosos possuem uma rede de tráfico muito bem organizada. Geralmente quando descobrimos algo, nem chegamos à ponta do iceberg. Mas o fato é que o Amapá está nessa rota e tememos que isso piore com a inauguração da Ponte Binacional”, comentou o coordenador.

Dos casos, dois chamam atenção. O primeiro é de uma colombiana, de 29 anos, que trabalhava em São Paulo e aceitou um emprego como babá em Macapá. Segundo investigações, o salário atraiu a jovem que aceitou e viajou para o Estado.

Semana

Programação da Semana de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas encerra dia 29

“Ela veio consciente que teria um emprego de babá que pagaria bem, mas quando se deu conta já havia passado de Macapá e estava em um garimpo na Guiana. Lá ela foi obrigada a trabalhar como garota de programa”, contou o técnico auxiliar do caso, Francisco Kato.

A colombiana já foi retirada do garimpo, mas ainda aguarda o término das investigações para voltar ao seu país.

Outro caso recente é o do bebê de Oiapoque vendido a um casal de Brasília por R$ 1.2 mil. A mãe da criança, que é portadora do vírus HIV, contou que consentiu a venda, já que os “novos pais” pareciam ter um bom estilo de vida.

Amapá tem 17 casos de tráfico humano confirmados, outros 10 estão sob investigação

Amapá tem 17 casos de tráfico humano confirmados, outros 10 estão sob investigação

Esses casos e dados foram explanados durante a abertura da Semana de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas, comemorado dia 30 de julho. Esse ano o evento tem apoio das Secretarias de Estado da Justiça e Segurança Pública (Sejusp) e Extraordinária de Políticas para as Mulheres (SEPM). Ela faz parte da programação do “Coração Azul”.

Programação

Dia 25, às 8h – Panfletagem (Local: Matapi)

Dia 26, às 8h – Mini Curso (Sejusp)

Dia 27, às 8h – Panfletagem no Aeroporto Internacional de Macapá

 Dia 27, às 14h – Panfletagem no Terminal Rodoviário de Macapá

Dia 28, às 17h – Panfletagem na Feira do Produtor da Zona Norte de Macapá

Dia 29 – Encerramento na Rampa do Santa Inês

Compartilhamentos