Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

A Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Amapá (Alap) visitou nessa terça-feira, 12, o 2º Batalhão da Polícia Militar, que cobre a Zona Norte de Macapá e alguns distritos da capital. A visita faz parte de uma série de outras que a comissão realiza para levantar as principais demandas da PM e ver de perto como os batalhões funcionam.

O presidente da Comissão de Direitos Humanos da Alap, deputado Pedro DaLua, comandou a visita ao 2º BPM. Ele passou parte da manhã conhecendo a rotina dos homens que compõem o Batalhão.

Presidente da Comissão de Direitos Humanos da Alap, deputado Pedro DaLua esteve reunido com militares do 2º BPM

Presidente da Comissão de Direitos Humanos da Alap, deputado Pedro DaLua esteve reunido com militares do 2º BPM

“Sou contra a ideia de que comissão de direitos humanos tem de ser colete pra bandido. Se o bandido quiser baixar as mãos e entregar as armas, vamos apoiá-lo. Caso contrário, sempre estaremos do lado da polícia”, discursou.

Com um efetivo bem abaixo do necessário, em função do crescimento demográfico da Zona Norte, após surgimento de novos bairros como o Macapaba e o Miracema, que deve ser inaugurado até 2017, os policiais se desdobram como podem. DaLua se propôs a apoiar a ampliação do efetivo, por meio de concurso público e de recursos para investimentos.

O 2° Batalhão é uma unidade operacional da Polícia Militar, responsável pela execução de decisões predominantemente operacionais, como lançamento e remanejamento do policiamento ordinário e atendimento de pedidos de policiamento.

Compartilhamentos