Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

No dia 10 de junho, o prefeitura inaugurou depois de 3 anos de obras o conjunto São José, no Bairro do Buritizal, na Zona Sul de Macapá. Para a maioria das famílias, era a esperança de viver em paz num lugar organizado e com infraestrutura, mas a criminalidade estava na bagagem. Aliás, durante a mudança das famílias para o conjunto muitas bagagens foram furtadas.

O presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Amapá, deputado Pedro Da Lua (PSC), foi informado pela Polícia Militar que em 3 semanas já foram registrados mais de 100 ocorrências envolvendo furtos, roubos e arrombamentos no conjunto. Um processo que o parlamentar chamou de ‘favelização’ provocado por bandidos infiltrados entre os moradores de bem. 

10 de junho, dia da inauguração e mudanças das famílias: roubo de bagagem. Fotos: Cássia Lima

10 de junho, dia da inauguração e mudanças das famílias: roubo de bagagem. Fotos: Cássia Lima

Além dos furtos durante a mudança das famílias, parentes foram assaltados ao visitar moradores. O presidente da comissão disse que a situação do São José já é idêntica a dos conjuntos Macapaba, na Zona Norte, e Mucajá, na Zona Sul.

O parlamentar informou que vai se reunir com moradores e a PM e sugerir um pacto para reduzir a criminalidade, começando pela identificação dos bandidos que estão morando entre as famílias. A ideia é que eles sejam denunciados pelos próprios moradores.

Pedro da Lua citou como exemplo de união popular contra a criminalidade os conjuntos Boné Azul, Barcellos e o Bairro Marabaixo.

“Nesses locais, a resposta veio dos próprios moradores que se organizaram e aos poucos foram garantindo a prisão dos meliantes e evitando a onda de violência”, declarou.

Compartilhamentos