Compartilhamentos

OLHO DE BOTO

Um ex-detento do Instituto de Administração Penitenciária do Amapá (Iapen) foi baleado dentro de casa em uma área de pontes no Bairro dos Congós, na Zona Sul de Macapá, na madrugada desta segunda-feira, 18. A polícia acredita que ele vinha sendo monitorado por alguém interessado em acerto de contas.

Mauro Sérgio Andrade Pinheiro, de 39 anos, já tinha sido preso duas vezes por tráfico de drogas e roubo. Ele estava em liberdade desde 2013 quando passou a trabalhar com a venda de camarão e peixes.

Beco do Dandy começa em uma das margens da 7ª  Avenida dos Congós. Fotos: Olho de Boto

‘Beco do Dandy’ começa em uma das margens da 7ª Avenida dos Congós. Fotos: Olho de Boto

No domingo ele havia acabado de retornar do arquipélago do Bailique (150 quilômetros de Macapá) e dormia no sobrado onde morava com a esposa e um filho de 14 anos no chamado ‘Beco do Dandy’, uma passarela de pontes que começa às margens da 7ª Avenida dos Congós.

De acordo com  o Batalhão de Rádio Patrulhamento Motorizado (BRPM), por volta das 3h, a casa foi invadida por pelo menos um homem que subiu para o quarto do casal. A esposa da vítima relatou aos policiais que Mauro foi atingindo com vários tiros enquanto ainda dormia, mas mesmo assim ele se levantou e travou luta corporal com o criminoso.

Uma equipe do Samu constatou que a vítima já estava morta

Uma equipe do Samu constatou que a vítima já estava morta

Gravemente ferido, ele se atirou do andar superior para tentar fugir e acabou se machucando ainda mais. Ele se atirou pela janela e caiu no telhado no pátio que quebrou com o peso do corpo. Ele bateu com a cabeça e ficou desacordado no chão.

A esposa dele, de 39 anos, também se jogou, e o assassinado conseguiu fugir.  Uma equipe do Samu esteve no local e constatou que Mauro Sérgio já estava morto. A esposa foi levada sem ferimentos graves para o Hospital de Emergência.

Ocorrência foi atendida pelo BRPM

Ocorrência foi atendida pelo BRPM

A Polícia Civil esteve no local e acredita que a vítima estava sendo monitorada pelo assassino que decidiu agir assim que Mauro Sérgio voltou de viagem. O criminoso ainda não foi identificado. Pelo menos outros dois homens teriam dado apoio ao assassino.

Compartilhamentos