Compartilhamentos

SELES NAFES

A pintura na parede ilustra bem o que ocorria dentro do quarto da casa noturna onde uma adolescente estava morando havia 3 meses na cidade de Oiapoque, a 590 quilômetros de Macapá, extremo norte do Amapá. 

Policiais civis prenderam a dona do lugar acusada de aliciamento da menor de idade para prostituição. A menor foi encontrada no quarto onde os programas eram realizados. Os clientes pagavam em Euro, Real e ouro.

Dinheiro encontrado no quarto com a adolescente. Fotos cedidas pela PC

Dinheiro encontrado no quarto com a adolescente. Fotos cedidas pela PC

Por volta das 14h dessa sexta-feira, 29, os policiais receberam denúncia de cárcere privado na casa noturna Gaivota.

“Ao chegar ao local não constatamos a denúncia, mas encontramos uma adolescente num quarto aguardando clientes”, lembra o delegado Charles Corrêa.

A menina contou aos policiais que foi contratada pela comerciante Erika Gomes Villete, de 36 anos, na capital Macapá. A adolescente disse que relutou em aceitar a proposta, mas depois acabou cedendo e viajou para Oiapoque.

Comerciante foi presa em flagrante

Comerciante foi presa em flagrante

 Ao chegar ao local, a adolescente passou a fazer programas sexuais com os clientes da casa noturna, afirma a polícia.  

“Encontramos no quarto dela euros, reais e dois gramas de ouro provenientes dos programas. Ela tinha que pagar uma parte para a dona do lugar”, diz o delegado.

Adolescente disse que relutou, mas depois acabou aceitando o convite da comerciante

Adolescente disse que relutou, mas depois acabou aceitando o convite da comerciante

A menina foi levada para o Conselho Tutelar de Oiapoque, que acionou a família dela em Macapá.

A comerciante foi presa em flagrante por aliciamento de menores, e até esse sábado, 30, continuava detida na delegacia.

Compartilhamentos