Compartilhamentos

MANOEL DO VALE

Era véspera do dia das bruxas, quando se espalhou a notícia de que naves extraterrestres haviam iniciado um ataque ao nosso planeta, começando pela cidade de Grovet’s Mill, no estado de Nova Jersey, nos Estados Unidos.

Repórteres divididos entre fugir para salvar suas próprias vidas e ficar para transmitir ao vivo detalhes da invasão, não conseguiam esconder a emoção e o medo de testemunhar um dos eventos mais inusitados da história americana, que deixou em estado de verdadeiro pânico milhões de cidadãos daquele país.

Era o ano de 1938 e a Guerra dos Mundos havia começado pelas ondas da rádio CBS. Uma radionovela roteirizada e dirigida pelo ainda pouco conhecido Orson Welles, adaptada de obra homônima de sua própria autoria, que virou case de estudo sobre a influência das mídias de massa sobre as populações, em especial as rádios.

O estilo de escrita de Welles fez dele o precursor da moderna ficção científica e um dos diretores americanos mais famosos dos Estados Unidos no século XX.

 “Muitas pessoas são bastante educadas para não falar com a boca cheia, porém não se preocupam em fazê-lo com a cabeça oca”, comentou Orson Welles

A Guerra dos Mundos lhe tornou famoso, mas foi o filme Cidadão Kane que lhe valeu o Oscar de melhor roteiro original.

Orson Welles morreu em 1985, aos 70 anos, consagrado como um dos cineastas mais versáteis da história do cinema norte americano dos últimos anos.

Em 2002, os diretores e críticos do British Film Institute elegeram Orson como o maior diretor de cinema de todos os tempos. Ele é também considerado o director mais aclamado de todos da história do cinema.

E você tem ainda até o dia 22 de julho para conhecer um pouco da obra do cineasta que também foi ator, produtor, dramaturgo, radialista poeta e pensador.

O Sesc, em parceria com o Tribunal de Justiça do Amapá, exibe a mostra ‘Mr. Faker’, um pseudônimo usado por Welles. A programação terá a projeção de 11 filmes do diretor, mas a Guerra dos Mundos não será um deles.

Mas há outras obras primas. Na programação estão clássicos como Cidadão Kane, Soberba, O estranho, A dama de Shanghai, Macbeth, MR Arkadin-Grilhões do Passado, A marca da maldade, O processo, Falstaff – o toque da meia-noite, F.For Fake – Verdade e Mentiras, e o Dom Quixote.

Confira a programação:

13692653_1043312025706120_1101530591778869061_n

Compartilhamentos