Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

Um sargento da Polícia Militar do Amapá decidiu ajudar as pessoas mais carentes do Distrito de Fazendinha, onde mora. Ele e alguns vizinhos uniram forças e dinheiro para fazer e distribuir, todos os sábados, um sopão nas áreas de palafitas e baixadas do distrito.

O sargento Max Carvalho é policial militar há mais de 20 anos. Ele disse que começou a distribuir o sopão porque sentiu desejo de ajudar. Ao contrário de outros projetos, neste não existe qualquer pretensão política.

Em uma kombi, policial entrega sopão em comunidades carentes da Fazendinha

Em uma kombi, policial entrega sopão em comunidades carentes da Fazendinha

“Eu poderia chegar todos os dias em casa, tomar banho e me deitar, mas sabendo que minha comunidade não vive bem, resolvi ajudar”, conta.

O trabalho começou com quatro pessoas e hoje são mais de 20 que realizam os mais variados trabalhos, desde o corte dos ingredientes até a distribuição.

Mais de 100 famílias são atendidas

Mais de 100 famílias recebem o sopão

“Começamos por conta própria. Primeiro com um panelão cheio, só que aí começamos a buscar parcerias e hoje servimos quatro”, diz orgulhoso.

Max conta que no início também entregava pão junto com a sopa, mas devido as dificuldades, o parceiro deixou de fornecer e agora busca alguém que possa ajudar.

Segundo o policial militar, mais de 100 famílias são atendidas. A sopa é distribuída no Bairro Vale Verde e na Ponte do Apertadinho, na Fazendinha.

São quatro panelões de sopa distribuídos

São quatro panelões de sopa distribuídos

A equipe começa a preparar a sopa às 9h em uma praça no Bairro Murici, na Fazendinha, onde mora o policial.  O preparo leva o dia inteiro e no final da tarde eles colocam as panelas em uma kombi e começam a distribuição.

Na praça onde preparam a sopa, acontece também oficina de música para mais de 30 crianças. O projeto iniciou com 48, mas devido à deterioração dos instrumentos, o número de crianças ficou reduzido.

Compartilhamentos