Compartilhamentos

SELES NAFES E ROBERTO GONÇALVES

Um vigilante de 27 anos foi assassinado quando estava de plantão na Área Portuária de Santana, a 17 quilômetros de Macapá. O colega que estava de plantão com ele disse que o crime teria sido cometido por ratos d’água, mas essa versão ainda está sendo investigada pela Polícia Civil. 

O crime ocorreu por volta da 1h da madrugada deste sábado, 2, na fábrica de gelo e frigorífico do terminal pesqueiro do governo do Estado que é gerenciado por uma cooperativa de pescadores, na Área Portuária da cidade. 

Na versão do colega que sobreviveu, Alexsandro Santos Coutinho e ele estavam de plantão com quando três homens armados teriam surgido de repente no meio da escuridão. Os dois vigilantes teriam sido rendidos e obrigados a entregar as armas.

A testemunha contou à Polícia Militar que os dois foram levados para dentro do prédio e obrigados a se deitar no chão. Alexsandro Coutinho levou um tiro na cabeça e outro na perna direita.  O colega disse que não conseguiu ver se a vítima reagiu contra os criminosos.

Depois do crime, os assaltantes fugiram em uma voadeira na escuridão do Rio Amazonas levando os dois revólveres calibre 38 dos vigilantes.  

O colega informou que ligou para o 190 do Ciodes, mas ninguém teria atendido. Foi então que ele decidiu pegar sua moto e ir até um posto da Polícia Militar onde pediu ajuda.

Até agora nenhum dos criminosos foi identificado. Alex morava na Avenida 13 de Setembro, no Bairro do Buritizal, em Macapá, e trabalhava para a empresa Queiroz Maciel. 

Compartilhamentos