Compartilhamentos

CÁSSIA LIMA

Existem animais muito amados mesmo, com direito à festa de aniversário, viagens internacionais e visitas em salão de beleza. Mas baby chá canino já não é tão comum. É nisso que estão apostando alunos da Escola Maria Carmelita do Carmo, no Bairro do Buritizal, Zona Sul de Macapá. Uma cadela adotada pela escola engravidou e vai ter festa.

A cachorra apareceu na escola no mês de março. O corpo técnico chegou a expulsá-la diversas vezes por dois motivos: primeiro por se tratar de um ambiente educacional, e segundo pelo estado do animal, cheio de sarna. A cadela venceu no cansaço, por isso ganhou o nome de ‘Malouvida’.

Sem vigilante, escola conta com os latidos de Malouvida. Fotos: Cássia Lima

Sem vigilante, escola conta com os latidos de Malouvida. Fotos: Cássia Lima

“Ela chegou aqui e queria entrar. Eu a expulsei várias vezes achando que ela tinha dono, mas ela sempre voltava. Até que conversei com a diretora e decidimos cuidar dela. Ela chegou magra com muita sarna e quase não tinha pelos. Colocamos o nome de Malouvida, por ser um termo antigo que se referia a pessoas insistentes e rebeldes”, contou Paulo Cesar Baia, funcionário da escola.

Acontece que o tempo passou, e durante as férias a Malouvida ficou solta pela escola, já que não havia alunos estudando. Nesse período, ela entrou no cio, e na primeira oportunidade fugiu e engravidou. A gravidez causou preocupação para a diretora da escola, Graça Monteiro, que não sabia como ia alimentar os filhotes da cadela.

Paulo César: passeio e banho aos sábados

Paulo César: passeio e banho aos sábados

“Nós já fazemos coleta e doações para garantir a alimentação dela. Compramos remédio pra sarna e ela já está melhor. Mas eu fiquei preocupada em como alimentar os outros filhotes e pensei no baby chá. Eu acho que ela vai ter uns cinco filhotes e os alunos já brigam por eles”, destacou a diretora.

O baby chá da cadela será dia 2 de setembro na escola. Durante todo o dia serão recolhidas doações de rações, sabonetes, xampus, remédios e coleiras. A ideia principal dessa mobilização é chamar atenção para o cuidado com os animais.

Malouvida chegou doente à escola e virou xodó

Malouvida chegou doente à escola e virou xodó

“Nós queremos defender o cuidado com os animais e chamar atenção para essa causa. Buscamos um veterinário que possa se solidarizar e examiná-la. Ela tem um carinho enorme de todos e um ciúme também”, revelou a diretora.

Além de ganhar ração, remédios e material higiênico, ela ganha muito carinho e amor. Os alunos estão empolgados com o baby chá. A cadela fica toda derretida com alguns estudantes, uma delas é Glenda Briele, de 15 anos.

“Desde quando ela apareceu na escola eu simpatizei. Comecei a brincar com ela e agora nos damos bem. Eu amei a ideia do baby chá. Em um mundo que muitos matam os animais e os abandonam, esse é um exemplo de amor entre o homem e o animal. Ela é muito amada”, frisou a aluna.

Filhotes que ainda não nasceram estão sendo disputados pelos alunos

Filhotes que ainda não nasceram estão sendo disputados pelos alunos

Rotina

Se engana quem pensa que a vida da cadela é só curtição. Não, ela tem rotina. Segundo Paulo Cesár, ela fica presa durante o dia e é solta durante o intervalo para interagir com os alunos, isso nos três turnos. Ela toma banho todos os sábados e passeia nos fins de semana. Tem vida de estrela.

“Hoje ela tem o nosso amor e também nos protege. Nossa escola não foi comtemplada com um vigilante e ela acaba fazendo esse trabalho pra gente pela noite. Ela rosna mesmo com quem não conhece. Abaixo de Deus, e ela que manda na escola”, brinca Paulo.

 

Compartilhamentos