Compartilhamentos

SELES NAFES

Alunos e professores de três escolas estaduais realizaram protestos na manhã desta terça-feira, 16, na Zona Norte de Macapá. A principal preocupação é com a violência e a qualidade da merenda.

A Escola Estadual Ruth Bezerra, no Bairro São Lázaro, foi assaltada na última sexta-feira, 11, por três bandidos armados com pistolas e até uma escopeta. Eles invadiram salas de aula lotadas de alunos e com professores lecionando.

Aluna prepara cartaz pedindo qualidade na merenda

Aluna prepara cartaz pedindo qualidade na merenda

“Alguns alunos de outras turmas, quando perceberam o que ocorria, tentaram bloquear as portas com carteiras. Alguns professores foram roubados e agredidos com coronhadas”, lembra um professor que estava na escola no momento do assalto e não quer ser identificado.

Assim como outras escolas estaduais, a Ruth Bezerra também está sem vigilantes desde que o governo do Amapá anunciou o fim dos contratos de vigilância na capital e na área urbana de Santana. O governo diz que não tem como pagar as empresas por causa da queda de arrecadação, e que vai implantar segurança eletrônica nos colégios. 

Além do ato público na manhã desta terça-feira, alunos e professores da Ruth Bezerra decidiram paralisar na quarta-feira, 17, pela manhã, e também resolveram que outros atos públicos serão realizados.

Alunos da Escola Ruth Bezerra viveram momentos de pânico na última sexta-feira, 11

Cerca de 800 alunos não tiveram aulas no Brasil Novo

Nas escolas Maria Cavalcante e Maria Mãe de Deus, ambas no Brasil Novo, o protesto foi pela readmissão dos vigilantes e melhoria na qualidade da merenda. Nesta terça-feira, não houve aulas para os quase 800 alunos das duas instituições.

A Escola Maria Mãe de Deus já foi assaltada 3 vezes este ano, e a Maria Cavalcante levou um grande prejuízo com um furto ocorrido na madrugada de segunda-feira, 15.

Outra reclamação é quanto à qualidade da merenda servida nessas escolas.

“Apesar de nos termos cardápios especificando como deve ser a merenda, continuamos servindo o famoso suco com bolacha, Nescau com bolacha, mingau, e ainda existem casos de desvio da verba da merenda de dentro da instituição”, comentou o professor de Língua Portuguesa, Maurício Araújo.

Compartilhamentos