Compartilhamentos

SELES NAFES

A Associação de Delegados da Polícia Civil do Amapá lançou uma nota condenando as condições físicas do prédio onde funciona a Delegacia de Crimes Contra a Mulher (DCCM). O presidente da entidade, Sávio Pinto, avalia que a situação do prédio é “deplorável e atenta contra a dignidade humana, rasga a Constituição Federal e atira na lama pactos internacionais celebrados pelo País para defesa da mulher”.

De acordo com a entidade, as viaturas estão sucateadas com pneus em “estado vergonhoso de uso”. Segundo o delegado, as condições dos veículos colocam a vida de policiais, vítimas e presos em risco.

Instalações elétricas precárias. Fotos: Adepol

Instalações elétricas precárias. Fotos: Adepol

Condições sanitárias inapropriadas

Condições sanitárias inapropriadas

“Se um pneu daquele estoura pode matar até um pedestre”, diz o Sávio Pinto. 

O prédio da delegacia tem infiltrações, fiação elétrica danificada, buracos no forro, o piso deteriorado, paredes sujas e o mato ao redor está alto.

As condições da mobília também são críticas, de acordo com o delegado.

Entrada do prédio da delegacia

Entrada do prédio da delegacia

“Os armários velhos e insuficientes, móveis em visível estado de decomposição, mal planejados, que não se prestam para acomodar os inúmeros inquéritos, TCs e diversos documentos correspondentes de uma unidade policial com o mínimo de decência”

O parquinho infantil que fica atrás da delegacia para onde filhos de vítimas de violência são levados também precisa de cuidados urgentes. 

Parquinho para crianças abandonado

Parquinho para crianças abandonado

“Estamos denunciando essa situação para todas as entidades de direitos das mulheres do país e do mundo e estamos programando uma grande manifestação para realizarmos em frente ao prédio”, adianta o delegado, acrescentando que existem delegacias em situação pior, a exemplo da primeira delegacia de Santana.

A delegada geral de polícia, Lourdes Sousa, admite que os problemas existem, e informou que a antiga Delegacia de Mulheres, localizada na Rua Leopoldo Machado, no Bairro Jesus de Nazaré, será reformada para receber provisoriamente as equipes de agentes e delegados da DCCM. 

Mobília sem condições de uso

Mobília sem condições de uso

“Eles ficarão lá por que a delegacia atual (no Bairro Santa Inês) será demolida. Já temos recursos do BNDES para isso. Falta apenas o término do trâmite na Secretaria de Infraestrutura do Estado (Seinf). Mas ainda não dá para precisar quando isso vai ocorrer”, ponderou a delegada. 

De acordo com ela, a Sejusp tem um levantamento completo sobre a situação das delegacias e dentro das possibilidades orçamentárias elas serão recuperadas, como já ocorreu na delegacia de Fazendinha que foi reinaugurada recentemente.

Sobre as viaturas, a delegada informou que três carros do tipo ‘xadrez’ estão sendo entregues, uma delas vai para a DCCM.

Compartilhamentos