Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

Após mais de 13 horas de julgamento, a 1° Vara do Tribunal do Júri de Macapá condenou por volta de 00h50min desta terça-feira, 30, o ex-mister  Amapá, Sérgio Luiz Ribeiro da Silva, de 22 anos, pela morte do carnavalesco Francisco das Chagas Pereira Ferreira, de 49 anos.

A sentença foi proferida pelo juiz João Guilherme Lages a um plenário lotado. Sérgio foi condenado a 14 anos e 20 dias de prisão em regime fechado além de multa por homicídio qualificado, furto e ocultação de cadáver. A defesa e a promotoria já anunciaram que irão recorrer.

Para os amigos de Chagas que acompanharam o júri e buscavam justiça pela memória do carnavalesco, esse foi um momento de alívio.

Em plenário lotado, pessoas mesmo de pé aguardaram o fim do julgamento. Fotos: Cássia Lima

Em plenário lotado, pessoas mesmo de pé aguardaram o fim do julgamento. Fotos: Cássia Lima

“Esperamos muito por esse julgamento.  Esse é um momento de dor porque revivemos e vimos fotos dele morto, mas confiamos em Deus e ele fez justiça.  Estamos muito emocionados, mas aliviados”, destacou Sandro Macapá, carnavalesco e amigo da vítima.

De acordo com denúncia do Ministério Público do Amapá (MP-AP), Sérgio matou Chagas asfixiado com uma toalha e não acidentalmente com uma ‘gravata’ a pedido da própria vítima durante ato sexual. O crime ocorreu no dia 31 de maio de 2015 por volta da meia-noite na residência da vítima, localizada no ramal ‘CD Rural’, na Rodovia JK.

O ex-mister desovou o corpo da vítima e furtou objetos da casa da mesma. O carro de Chagas foi encontrado dias depois do crime num ramal assim como o corpo.

O réu vai recorrer preso no Instituto de Administração  Penitenciária do Amapá (Iapen).

Compartilhamentos