Compartilhamentos

OLHO DE BOTO

Um mototaxista morreu no início da manhã deste sábado, 13, ao ser atingido por um carro no cruzamento na Avenida  José Tupinambá com a Rua São José, no Bairro do Laguinho, área central de Macapá. Depois da prisão do motorista acusado de provocar a tragédia, mototaxistas cercaram o prédio do Ciosp do Pacoval.

O acidente ocorreu por volta das 7h30min.  Segundo testemunhas, o mototaxista  José Arnaldo de Araújo, de 44 anos, trafegava pela Rua São José quando foi surpreendido por um Kord Ka preto preto dirigido por Alesi Conceição Serrão dos Santos, de 22 anos.

O motorista estaria trafegando no sentido contrário, avançado o sinal vermelho e dobrado na frente do mototaxista que não teve tempo de desviar.

Um ciclista também foi atingido. Fotos: Olho de Boto

Um ciclista também foi atingido. Fotos: Olho de Boto

O mototaxista e o passageiro Edgleuson de Miranda, de 27 anos, ficaram gravemente feridos. O passageiro teve fraturas expostas e foi conduzido pelo Corpo de Bombeiros para o Hospital de Emergência. José Arnaldo de Araújo, o mototaxista, morreu no HE.

Com o impacto, o carro capotou e ainda atingiu um ciclista identificado como Rosivaldo Barbosa, de 46 anos, também levado para o HE.

Moto conduzida pela vítima. Passageiro também ficou ferido

Moto conduzida pela vítima. Passageiro também ficou ferido

O motorista Alesi Conceição foi submetido ao bafômetro que acusou 0,84 mg por litro de sangue, quase três vezes acima do tolerado pelo Código Brasileiro de Trânsito. Ele foi preso em flagrante e apresentado no Ciosp do Pacoval.

O prédio ficou cercado por mototaxistas em protesto pela morte do colega.

“Ele disse que não ia pegar nada com ele por que é filho de coronel. Pra que servem as nossas leis. Tinham várias pessoas aqui no chão sangrando. O veículo é uma arma muito grande”, disse uma testemunha revoltada.

Mototaxistas ficaram revoltados e exigiram a prisão do motorista

Mototaxistas ficaram revoltados e exigiram a prisão do motorista

José Arnaldo morreu no HE

José Arnaldo morreu no HE

Alesi Conceição, que na verdade é filho de um major da reserva da PM, foi autuado por homicídio doloso, quando há intenção de matar. A decisão de descaracterizar o crime de trânsito e enquadrá-lo no Código Penal foi da delegada Elza Nogueira.

“Ao ingerir bebida alcoólica em grande quantidade e dirigir em alta velocidade ele assumiu o risco de matar pessoas”, avaliou a delegada.

Pelo menos por enquanto, Alesi Conceição não terá direito a fiança. Ele será encaminhado para uma audiência de custódia na semana que vem.

José Arnaldo foi surpreendido pelo Ford Ka

José Arnaldo foi surpreendido pelo Ford Ka

Compartilhamentos