Compartilhamentos

REDAÇÃO

O juiz Moisés Ferreira Diniz, da 1ª Vara Cível e de Fazenda Pública de Macapá, decidiu que o Partido Progressista (PP) poderá permanecer na coligação “Cidade Nota 10’, da candidata à prefeita de Macapá, Aline Gurgel (PRB).

O pedido para que o partido se retirasse da coligação foi da própria Comissão Provisória da Executiva Municipal do PP, diferente da decisão do presidente da legenda, deputado federal André Abdon.

Existe um racha no partido. Um grupo, comandando pelo ex-deputado Edinho Duarte, que perdeu o comando do partido no ano passado, quer apoiar Gilvan Borges (PMDB), e enquanto outro defende a candidatura Aline Gurgel.

A ação com pedido de antecipação da tutela proposta pela comissão foi indeferida “por não vislumbrar a presença de seus requisitos autorizadores”, ou seja, a comissão não teria poderes para sobrepôr o que havia decidido o presidente André Abdon.

 “O Partido Progressista está junto com a vereadora Aline, fortalecendo e credenciando a sua candidatura à prefeitura de Macapá”, disse o deputado.

Abdon disse ainda que os resultados e a ata da convenção do dia 30 de julho já foram registrados no Tribunal Regional Eleitoral. 

Compartilhamentos