Compartilhamentos

CÁSSIA LIMA

A atual mesa diretora da Assembleia Legislativa do Amapá (Alap) renunciou coletivamente em sessão extraordinária no fim na tarde desta quinta-feira, 04. Na prática, o ato destituiu da presidência o deputado Kaká Barbosa (PT do B). Uma nova eleição foi marcada para essa sexta-feira, 5. 

O então presidente não estava presente no plenário durante a tomada de decisão dos parlamentares que votaram de forma unânime pelo fim da atual gestão. A renúncia foi apoiada por 19 deputados presentes dos 24 que a Alap possui. 

Com o ato abre-se vacância na administração da casa parlamentar e, segundo o regimento interno, uma nova eleição deveria ocorrer em no máximo uma semana. No entanto, a votação já foi marcada amanhã, às 9h30min, em mais uma sessão extraordinária. Nos bastidores os deputados alegam centralização de decisões e possíveis irregularidades na gestão.

Roseli Matos conduziu a sessão de renúncia coletiva. Fotos: Cássia Lima

Roseli Matos conduziu a sessão de renúncia coletiva. Fotos: Cássia Lima

No entanto, os parlamentares autorizaram apenas a publicação de uma nota para a imprensa dizendo que a “assinatura do termo fecha um ciclo de gestão política-administrativa no parlamento estadual, iniciado em dezembro, quando a atual presidência se instalou interinamente, encerrando-se hoje com o desligamento de alguns membros da diretoria que apresentaram renúncia”.

A movimentação pela destituição começou há dois dias. Nesta quinta-feira, os deputados passaram a tarde reunidos em uma das salas administrativas da sede da Alap. 

Nos bastidores, já é dada como certa a informação de que uma chapa encabeçada pelo deputado Jaci Amanajás (PROS), com a deputada Roseli Matos (DEM) como vice, está articulada para uma nova gestão junto com os demais membros da atual mesa, com exceção do atual presidente. 

Roseli disse no plenário que “mais informações sobre esse procedimento e essa decisão vão ser dadas amanhã durante a sessão”.

Compartilhamentos