Compartilhamentos

CÁSSIA LIMA

O cenário musical amapaense sempre revela talentos da noite, e alguns têm apostado no ritmo sertanejo, como é o caso da cantora Thammy Nunes da Costa, ou simplesmente ‘Thammy Girl’. E ela não se arrepende. Thammy Girl faz shows todas as semanas, especialmente no interior do Amapá e do Pará.

Thammy canta desde os 15 anos, mas a influência da música veio na infância aos 8 anos quando ouvia o avô tocar violão. Essa paixão ficou.

Thamy (4)

Fã das cantoras Joelma e Marília Mendonça, Tammy canta desde os 15 anos. Fotos: Cássia Lima

“Eu escutava muito meu avô cantar e tocar. Ele cantava muito música popular amapaense e brasileira (MPA/MPB). Aquilo ficou em mim até que aos 15 anos resolvi arriscar e comecei a cantar”, conta a cantora.

Como boa e forte nortista, o ritmo escolhido foi o brega, tendo como referência a cantora Joelma. Ela conta que o brega é o ritmo das festas amapaenses.

“Querendo ou não a gente gosta do brega, toda festa começa com músicas leves, mas sempre termina com aquele brega. E a galera gosta. É o ritmo do povo”, ressalta.

Mas, assim como a idade, a fase passou e o ritmo escolhido passou para o sertanejo. As influências de Marília Mendonça e Joelma renderam a ela dois anos de contrato com Júnior Moral, foi ele que a batizou com o novo apelido. Veja o vídeo.

“Thammy Girl foi um apelido dado pelo meu amigo Júnior. Ele dizia que era mais a minha cara. E foi ele que me incentivou na carreira solo”, conta.

Thammy que já cantou em vários municípios do Estado, está há seis meses em carreira solo, já tem fã-clube e alguns contratos. Ela se apresenta acompanhada de uma banda, mas fala da dificuldade de viver da música no Amapá.

“É um pouco difícil. Esse é um trabalho que eu faço por amor, mas é dolorido. Porque falta incentivo, o governo quando contrata não nos valoriza, mas ao mesmo tempo paga caches absurdos para outros cantores nacionais”, critica a cantora.

Compartilhamentos