Compartilhamentos

 

DA REDAÇÃO

Uma aluna de 18 anos da Escola Estadual Castro Alves, no Bairro Jesus de Nazaré, em Macapá, foi esfaqueada por outra aluna do colégio. A agressora tem apenas 14 anos. A PM diz que a escola tem muitos alunos envolvidos em delitos e com processos judiciais, e quer discutir esse assunto com a Justiça Criminal.

A tentativa de homicídio ocorreu no fim da tarde de quinta-feira, 2, na área externa da escola. A PM não sabe explicar os motivos da agressão.

A aluna de 18 anos foi esfaqueada no braço, abdômen e uma das mãos. Ela foi socorrida por moradores e levada até o Hospital de Emergência. A menina perdeu muito sangue e passou por cirurgia. O estado dela é grave, segundo o hospital.

A agressora fugiu do local. Ela é moradora da ‘Ponte do Axé’, comunidade em área de ressaca do Jesus de Nazaré bem conhecida pelos crimes de morte e tráfico de drogas.

“Fomos a casa dela e encontramos o pai e a mãe. Eles já sabiam o que tinha ocorrido. Achamos que eles deram fuga pra ela”, comentou o tenente Marcelo, comandante do Policiamento Escolar da PM.  

Assim como outras instituições de ensino, a PM considera crítica a situação da Escola Castro Alves. O colégio recebe muitos alunos matriculados por determinação judicial.

Esses estudantes são adolescentes que estavam internados no Cesein justamente por terem cometido crimes, chamados no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) de “atos infracionais”. E também existem alunos adultos com passagem pelo Instituto de Administração Penitenciária do Amapá (Iapen).

“Solicitamos uma reunião para discutir o assunto. Estamos contando com a participação de diretores, professores e de representantes da Vara de Execuções Penais (VEP)”, adiantou o oficial.

A reunião está marcada para a próxima segunda-feira, 5.

Compartilhamentos