Compartilhamentos

OLHO DE BOTO

A Polícia Civil do Amapá investiga a atuação de uma quadrilha que tem como alvo taxistas de Macapá. Um dos criminosos conhecido como ‘Baixo’ tem quase 2 metros de altura e foi indiciado no inquérito que corre na Delegacia Especializada em Crimes Contra o Patrimônio (DECCP).

Trata-se de Luan Baía de Oliveira, de 20 anos. Ele tem mais de 1,90 metro e foi reconhecido por um taxista.

Em fevereiro deste ano, a vítima estava trabalhando normalmente quando apanhou falsos passageiros no Bairro do Araxá, na orla de Macapá. Os criminosos disseram que queriam ir até o Bairro Cidade Nova, na Zona Leste. Ao chegar ao local, a dupla anunciou o assalto.

Eles ameaçaram o motorista e fugiram levando pertences e o dinheiro do táxi. Um dos criminosos acabou sendo preso em flagrante pela Polícia Militar, mas o segundo assaltante permanecia incólume.

Esse segundo criminoso seria Luan Oliveira, o Baixo. Entre fevereiro e agosto deste ano, ele foi preso diversas vezes por outros crimes, mas sempre acabava escapando por falta de testemunhas. Desta vez, ele foi reconhecido pelo taxista assaltado em fevereiro.  

“No interrogatório ele se colocou na cena do crime, mas negou ter participado. Contudo, ele efetivamente foi o coautor do crime, inclusive ameaçando a vítima com uma chave de fenda”, comentou o delegado Glemerson Arandes, da DECCP.

Em depoimento na sexta-feira, 2, o acusado saiu da DECCP indiciado. A Polícia Civil vai pedir à Justiça a prisão preventiva do acusado, para que ele permaneça fora das ruas até o julgamento do caso.

Compartilhamentos