Compartilhamentos

SELES NAFES

A ministra Rosa Weber, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), rejeitou pedido de liminar do prefeito de Santana, Robson Rocha (PR), que tentava suspender a decisão que indeferiu sua candidatura à reeleição. O processo voltou para a primeira instância e para as mãos do juiz Normandes Antônio de Sousa, a 6ª Zona Eleitoral. 

É o mesmo magistrado que no início da semana indeferiu a candidatura de Robson Rocha a pedido do promotor eleitoral Adilson Garcia.

O promotor tinha dado parecer pela impugnação com base na suspensão dos direitos políticos do prefeito por determinação do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Amapá. Ele e a irmã, a deputada estadual Mira Rocha (PTB), foram condenados por abuso de político ao contratar para a prefeitura de Santana pessoas que votariam em Mira Rocha. 

A ministra Rosa Weber considerou que Robson Rocha deveria ter ingressado com uma ação ordinária, e decidiu que caberá ao juiz Normandes Antônio arbitrar sobre a suspensão. 

O problema para Robson Rocha é que faltam 3 semanas para terminar a campanha eleitoral, e os mais otimistas acreditam que Normandes Antônio só deverá proferir sentença a partir da próxima terça ou quarta-feira que vem. 

Com o tempo ficando escasso, a insegurança tomou conta da campanha do prefeito, levando desânimo à militância e apoiadores. 

No sábado, 10, Robson Rocha decidiu cancelar toda a agenda que incluía caminhada e comício, e foi para casa ficar com a família. 

O pai de Robson Rocha, o ex-prefeito Rosemiro Rocha e principal idealizador da campanha, já começou a buscar possíveis nomes para substituir a candidatura do filho caso não haja um reverso inesperado.

São avaliados os nomes de Patrícia Ferraz, da depurada estadual Rosely Matos e do vereador Zé Roberto, mas ainda não há uma decisão.

Compartilhamentos