Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

Não são apenas as escolas estaduais que são alvos de bandidos. Desta vez, os criminosos fizeram uma visita à Escola Municipal Pequeno Príncipe, que atende crianças do primeiro e segundo período, e que fica no Centro da cidade. 

O furto ocorreu na madrugada da última segunda-feira, 19. A Polícia Militar esteve no local, mas até agora não há suspeitos. Como os bandidos levaram até a bomba d’água, as aulas foram suspensas durante três dias.

Sala de aula ficou sem uma central. Fotos: André Silva

Sala de aula ficou sem uma central. Fotos: André Silva

Os criminosos pularam o muro, arrombaram a cozinha e uma sala de aula levando bomba d’água, três botijões de gás, uma central de ar, ventilador e um equipamento de som. Segundo o secretário da escola, Odair Dias, eles chegaram a desinstalar outra a central de ar, mas não levaram.

“Quem fez isso sabia o que estava fazendo. É um absurdo essa insegurança. Temos vários objetos de valor que ficam a mercê desses bandidos”, desabafou o secretário.

Equipamento foi desinstalado com cuidado

Equipamento foi desinstalado com cuidado

A diretora Kátia Sacramento disse que há dois meses a escola estava sem guarda municipal. Ela informou que a Guarda Civil já providenciou um guarda para vigiar o prédio.

“Já procuramos a Secretaria de Educação e eles já estão resolvendo o problema e no máximo até quarta-feira já estará tudo funcionando”, explicou a professora.

Secretário Odair Dias: "quem fez isso sabia o que estava fazendo"

Secretário Odair Dias: “sabiam o que estavam fazendo”

Desde que a Prefeitura Municipal de Macapá não renovou o contrato com as empresas de vigilância, a responsabilidade da segurança dos prédios da prefeitura passou a ser, dividida entre a Guarda Civil Metropolitana de Macapá (GCMM) e a segurança eletrônica, onde são usados circuitos de câmeras e sensores de movimento.

Compartilhamentos