Compartilhamentos

CAROLINE BELFOR

O cortejo foi digno de um chefe de poder, com honras fúnebres, batedores da Polícia Militar, presença do governador, deputados, membros do Poder Judiciário, além de gente humilde que foi dar o último adeus a pioneira Luzair Costa, falecida na quinta-feira, 1º , por volta das 18h, no Hospital São Camilo.

Luzair Maria Nascimento da Costa tinha 74 anos e vinha lutando há vários meses contra um câncer que iniciou no pâncreas. A doença só foi detectada este ano, o que retardou o tratamento.

O câncer de pâncreas não apresenta sinais específicos, o que dificulta o diagnóstico precoce. Os sintomas dependem da região onde está localizado o tumor, e os mais perceptíveis são: perda de apetite e de peso, fraqueza, diarreia e tontura.

Charge inspirada na Última Ceia reúne matriarca, esposa e filhos. Foto: Reprodução

Charge inspirada na Última Ceia reúne matriarca, esposo e filhos. Foto: Reprodução

Mesmo doente, ‘Dona Loló’, como era conhecida, continuava a rotina diária de receber amigos, cuidar de enfermos e dar comida aos pobres.

“Era surpreendente a hospitalidade e generosidade dessa mulher, que mesmo sem muito estudo, era de uma sabedoria ímpar e de uma bondade inigualável”, disse emocionada a professora doutora Norma Iracema, docente da Unifap.

O governador Waldez Góes, que ficou durante toda a cerimônia, destacou que “não deve ter sido fácil, com todas as limitações, criar e educar 10 filhos e quase 40 netos, e ainda ter disposição para ajudar o próximo”.

Ao lado de filhos e nora

Ao lado de filhos e nora

E emendou: “Dona Luzair sempre se orgulhava do fato de filhos e netos terem conseguido lugar de destaque na vida pública”.

O deputado Cabuçu, filho do pioneiro Miguel Pinheiro Borges, lembra da amizade que o pai nutria com o casal Heráclito e Luzair, e do esforço do casal em criar os filhos.

“Minha família, assim como a de dona Loló, é numerosa, e sabemos o quanto é difícil garantir o pão de cada dia, muito mais a educação diária”.

Dona Luzair e o esposa ajudaram a construir vários templos da AD

Dona Luzair e o esposo ajudaram a construir vários templos da AD

O deputado estadual Pedro DaLua (PSC), emocionado, disse que muitas decisões políticas importantes para o estado foram tomadas na mesa do café de dona Loló. Desde as 6h da manhã, filhos e amigos chegavam todos os dias para visitá-la, conversar com ela e ouvir seus conselhos.

“Será difícil entrar em sua casa e saber que ela não estará mais lá para nos receber”, disse o deputado.

Para o médico e deputado Antônio Furlan, o maior exemplo de dona Luzair foi a humildade. Ele esteve com ela, no hospital São Camilo poucos minutos antes do falecimento, e, junto com o deputado DaLua, foi um dos primeiros amigos da família a chegar.

“Ela era incapaz de pedir qualquer coisa. Mas seus atos de bondade e sua generosidade nos compeliam e estar a postos para ajudá-la em seus propósitos”.

 Os filhos

Dona Luzair foi mãe do advogado Lucivaldo Costa (chefe do núcleo de Defensoria Pública em Porto Grande), Ronaldo Costa (servidor público estadual e pastor evangélico), Heraldo Costa (juiz de direito da Comarca de Tartarugalzinho e idealizador do projeto Casamento Comunitário), Leidelene Costa (socióloga), Lenildo Costa (sargento da Polícia Militar), Edinaldo Costa (enfermeiro, advogado e serventuário do TJAP), Elienaldo Costa (contador, ex-secretário de obras em vários municípios e atual gestor do Fundo Municipal de Habitação), Renivaldo Costa (jornalista, sociólogo e diretor-geral da Alap), Renilda Costa (advogada e secretária de Estado da Saúde) e Heráclito Junior (administrador e servidor dos Correios).

Uma das últimas fotos tiradas com os filhos, já bastante debilitada

Uma das últimas fotos tiradas com os filhos, já bastante debilitada

Biografia

Luzair Maria Nascimento da Costa nasceu em 11 de janeiro de 1942 na cidade de Afuá, Estado do Pará. Desde cedo, passou a ajudar os pais, Jerônimo Ferreira e Maria Nascimento, nas atividades extrativistas, pesca, plantio e no cuidado dos irmãos menores.

Ainda adolescente, conheceu o companheiro Heráclito Mendes da Costa, com quem foi casada por 54 anos. No final dos anos de 1960, ela veio para Macapá com o esposo e os filhos Lucivaldo, Ronaldo e o pequeno Heraldo. Na capital amapaense, nasceram Leidelene, Edinaldo, Lenildo, Elienaldo, Renivaldo, Renilda e Heráclito Júnior.

“Nos anos 60 muitos de nossa família vieram para Macapá. A vida ribeirinha, mesmo cativante, era difícil, e nossos pais buscavam a oportunidade de dar formação e mais qualidade de vida aos filhos”, relata a juíza Eliana Nunes Pingarilho, sobrinha e filha de Manoel Nascimento, irmão de dona Luzair.

Casal se orgulhava de ter encaminhado todos os filhos

Casal se orgulhava de ter encaminhado todos os filhos

Em Macapá, a família desenvolveu durante muitos anos o comércio de madeiras e de lá garantiu o sustento e a formação dos 10 filhos. Dona Luzair sempre se orgulhava disso e do fato de filhos e netos terem conseguido lugar de destaque na vida pública.

Evangélica desde os 17 anos, era membro há mais de 50 anos da Igreja Assembleia de Deus. Ela e o marido ajudaram na construção de diversos templos. O sonho dela era ver a catedral da denominação religiosa ser concluída. Ela vinha ajudando na obra. Não conseguiu…

Compartilhamentos