Compartilhamentos

CÁSSIA LIMA

A partir desta terça-feira, 20, o Departamento de Trânsito do Amapá (Detran-AP) inicia a ações educativas, blitz e palestras em escolas do Estado. As atividades fazem parte da Semana Nacional do Trânsito. No Amapá também será comemorado os três anos da Lei Seca.

Programação inicia na noite desta segunda, 19, com disponibilização de dados sobre o trânsito no Amapá atualizados. Foto: arquivo

Programação inicia na noite desta segunda, 19, com disponibilização de dados sobre o trânsito no Amapá atualizados. Foto: arquivo

Com o slogan “Eu sou +1 por um trânsito mais seguro”, a Semana tem como objetivo conscientizar o cidadão da sua responsabilidade no trânsito, assim como, visar a participação de todos por um trânsito mais seguro.

inacio-maciel

Diretor do Detran Amapá, Inácio Maciel. Foto: Cássia Lima

“Houve uma redução nos dados aqui no Amapá, mas ainda é necessária essa participação da população. É importante as pessoas entenderem que o trânsito é feito de carros, motos, ônibus, mas também de ciclistas, pessoas e cadeirantes. Temos que respeitar todos”, destacou o diretor do Detran Amapá, Inácio Maciel.

Segundo o diretor, os dados do trânsito amapaense serão divulgados na abertura oficial da Semana, que será nesta segunda, às 19h no auditório do Sest-Senat. Mas ele já adiantou que o Amapá está no terceiro lugar das capitais que menos matam em 2016, segundo dados do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran).

Operativos para conscientização e blitz estão previstos na programação da Semana Nacional do Trânsito no Amapá

Operativos para conscientização e blitz estão previstos na programação da Semana Nacional do Trânsito no Amapá. Foto: divulgação

Lei Seca

No Amapá, a semana também conta com as comemorações dos 3 anos da Lei Seca. Foram mais de 15 mil abordagens, cinco mil notificações e cerca de mil apreensões. Para o diretor a avaliação é positiva.

“O surgimento da lei nos proporcionou mensurar os números que antes não tínhamos. Três anos ainda é pouco para avaliarmos, mas posso te dizer que no último ano aumentaram as autuações devido a fiscalização mais incisiva”, frisou.

Compartilhamentos