Compartilhamentos

CÁSSIA LIMA

A Delegacia de Crimes Contra a Criança e o Adolescente (Derca), localizada na Avenida FAB, Centro de Macapá, contabilizou esse ano um aumento absurdo de 100% nos casos de estupros a crianças e adolescentes. O perfil dos acusados também mudou.

Segundo o delegado, Daniel Mascarenhas, da Derca, em 2014, eram contabilizados entre 5 e 8 ocorrências por mês, tendo como média 7 casos. As vítimas tinham entre 11 e 16 anos. A maioria dos acusados eram amigos ou vizinhos da vítima.

Delegado Daniel Mascarenhas: "

Delegado Daniel Mascarenhas. Denúncias ajudam a combater e prevenir violência contra crianças e adolescentes. Foto: Júlio Miragaia

Atualmente, existe uma média de 14 casos mensais, sendo que há meses em que o registro chega até a 18 casos. Os índices mostram ainda que a idade das vítimas diminuiu para 6 anos. E infelizmente, os acusados agora são tios, avôs e até pais.

“São dados absurdos para nossa realidade e para o tamanho da nossa população. Antes, muitas mães eram coniventes, mas as denúncias estão aumentando. O mais triste é que essas crianças já foram estupradas mais de uma vez até virem parar na delegacia”, frisou o delegado Mascarenhas.

O delegado acredita que o aumento desse tipo de ocorrência acontece por uma maior informação das mães, denúncias de terceiros e também pela decisão do Supremo Tribunal Federal, que desde 2015 considera estupro não apenas a conjunção carnal, mas é o toque e o beijo mais lascivo.

“A informação é um fator para o aumento dos casos. É um número absurdo, mas é a realidade, mas precisamos combater. As crianças não podem continuar sofrendo nem esse tipo ou outro de violência. Se você desconfia de alguém, denuncie”, pediu o delegado.

Atleta de karatê

Um dos casos mais recentes ocorreu dia 6 de agosto dentro de um hotel na orla de Macapá. Uma atleta de karatê da delegação do Ceará foi estuprada durante a noite. O homem pulou o muro do hotel e entrou no quarto pela janela.

Imagem captada por câmera de segurança mostram um suspeito

Investigações estão em andamento sobre o caso de estupro de atleta em hotel na orla da cidade. Foto: arquivo

O delegado já ouviu depoimentos dos funcionários do hotel e já identificou o acusado por meio das imagens do sistema interno. A polícia não pode divulgar mais informações porque as investigações ainda estão em andamento.

Compartilhamentos