Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

A Universidade Federal do Amapá (Unifap) divulgou uma nota nesta quarta-feira, 21, onde repudia a ação de estudantes que terminou com o cancelamento do debate entre os candidatos que disputam a prefeitura de Macapá na noite desta terça-feira, 20.

A nota diz que o grupo que organizou a manifestação tumultuada é composto por “estudantes e pessoas alheias à comunidade universitária, que de forma truculenta, antidemocrática e fascista, interrompeu o debate entre os candidatos à prefeitura de Macapá, organizado pelo Coletivo estudantil Estopim”.

A nota pede desculpas aos candidatos e às mais de 200 pessoas que aguardavam o início do debate.

Candidatos aguardavam o início do debate

Candidatos aguardavam o início do debate

Durante o discurso da reitora Eliane Superti na abertura do evento, manifestantes invadiram a quadra com faixas pedindo o fim do voto obrigatório. Eles subiram ao palco e impediram a realização do debate que contava com a presença de 6 dos 7 candidatos. Quase houve vias de fato entre estudantes e assessores de uma candidata.

“Esse grupo não representa a comunidade estudantil da Unifap composta por 7.549 alunos de graduação e pós-graduação. Para a Unifap, o respeito ao próximo e aos valores democráticos são inalienáveis. Assim, medidas serão tomadas para identificar e responsabilizar, de acordo com o Regimento Interno da Universidade, os estudantes que causaram o tumulto, causando o cancelamento do debate”, termina nota.

Compartilhamentos