Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

Funcionários que trabalham na construção do novo Aeroporto Internacional de Macapá estão paralisados há quase 120 dias. Construtoras contratadas pela Infraero decidiram interromper a obra enquanto os pagamentos atrasados não fossem regularizados.

Nesta sexta-feira, 9, os operários chegaram a fazer uma manifestação. O ato só parou depois que uma das empresas apresentou um comprovante de depósito, o que segundo um trabalhador que não quis se identificar, prova que o pagamento já havia sido efetuado.

“Ele mostrou o comprovante, mas o dinheiro que é bom ainda não caiu na conta. O pessoal se dispersou e foi pra casa já que as obras estão paradas há quase 120 dias”, reclamou.

Um empreiteiro baiano que tem uma empresa de topografia disse que já realizou seis medições e ainda não recebeu nenhum pagamento. Para receber o que já realizaram, as empresas precisam provar a quantidade de serviços executados, e é por meio da medição que eles mostram isso.

“Estou aqui no Amapá há seis meses e até agora não vi a cor desse dinheiro”, desabafou o empresário.

Nenhum representante da empresa responsável pela obra quis se pronunciar sobre o assunto. A Infraero também não se posicionou sobre o assunto.

Depois de pronto, o aeroporto terá sua capacidade aumentada de 750 mil para 5 milhões de passageiros por ano, e terá custado mais de R$ 163 milhões.

As obras tiveram início em 2004 e foram paralisadas em  2007 quando o Tribunal de Contas da União (TCU) apontou fraudes e desvio de R$ 113 milhões.

As obras recomeçaram no início de 2016 e, segundo a previsão da Infraero, já estariam com parte da estrutura funcionando até junho deste ano.

Compartilhamentos