Compartilhamentos

Uma mentira repetida mil vezes vira verdade? Nem sempre. As vezes pode ser repetida bem menos para destruir uma carreira, uma família ou manchar uma imagem que levou décadas para ser construída. 

Graças a Deus e à Justiça do Amapá, ninguém mais fica invisível por muito tempo na internet atacando a honra das pessoas. No arfam de satisfazer os desejos de poder de grupos políticos, e dos próprios interesses particulares, tem muita gente nas redes sociais jogando lama na biografia de quem adota uma postura independente.

Vejam o caso do senhor Jefferson Sampaio, que eu só fui descobrir ser candidato a vereador pelo PSB na semana passada. Há mais de um ano, esse senhor, que se identifica como lutador imparcial das causas sociais (mas é ligado a grupo político), se esconde atrás do pseudônimo de ‘Black Bloc AP’ no Facebook para atacar a mim.

No início foi difícil buscar uma reparação. Ninguém sabia quem era o Black Bloc. No perfil dele no Facebook, não há a identificação do administrador do perfil.  Pensou que estava protegido, e continuou lançando inverdades.

Recorri ao Ministério Público do Amapá. Fui muito bem recebido pelo promotor Flávio Cavalcante, que entendeu minha situação. Ele ingressou com um pedido de quebra do sigilo do perfil do Black Bloc. Demorou. O Facebook relutou, mas, por fim, a Justiça reiterou a ordem com prazo de 5 dias para que fosse cumprida. E foi. Estava revelado o verdadeiro Black Bloc e a quem ele serve.

Mas quando me informaram o nome confesso que fiquei espantado. Afinal, eu nunca tinha visto. Então, como pode alguém que você não conhece se achar no direito de dizer publicamente aquilo que você não é? E de forma tão desrespeitosa e rasteira. 

Meu advogado, o senhor Pablo Nery, que apesar de novo na idade é um dos maiores causídicos que já vi, ingressou com ações em varas cível e criminal.  O objetivo era buscar uma reparação, se é que pode existir uma. 

No último dia 2, finalmente pude estar frente a frente com o homem que causou tanto constrangimento a mim, minha esposa e filhos. Ele nem se preocupou em negar os ataques ou que era o dono do perfil. Também não tinha como. Foi logo propondo uma retratação, e só.

Não aceitamos, e a coisa evoluiu para uma indenização de R$ 4 mil, retratação e a retirada de todas as postagens levianas e caluniadoras. Nem todas foram retiradas, mas a maioria sim. Isso ainda vou informar à Justiça.

Alguns amigos do Black Bloc/Jeffersonn Sampaio se manifestaram em favor do amigo também me desferindo ataques. Ainda bem que a Justiça é para todos.  

Quero agradecer ao meu advogado, à Justiça e às pessoas que se solidarizaram comigo e minha esposa, uma administradora com mais de 20 anos de experiência e uma das profissionais mais competentes que o mercado amapaense tem.

O Black Bloc/Jefferson Sampaio disse que eu não tenho credibilidade. Mas fiquei impressionado com a quantidade de pessoas que acreditavam que o Black Bloc era uma pessoa imparcial, apenas preocupada em denunciar os problemas da nossa sociedade. A máscara caiu.

Por fim, quero dizer que continuarei fazendo o meu trabalho. E garanto que não ficarei mais inerte diante dos que colocam a faca nos dentes para atacar quem seus chefes querem.

Se você já foi vítima desse ou de outros Black Blocs da vida, faça como eu. O anonimato acabou. Essa é a grande lição!

Compartilhamentos